14 de nov. de 2020

Mulheres acusam Expedito Jr de ter ido à baixada comprar votos; uma delas é candidata a vereadora do partido do Coronel Egídio

Na quinta-feira (12) Expedito Jr, candidato a prefeito do Solidariedade, pegou todo mundo de surpresa ao desistir de fazer seu comício de encerramento, se contentando com uma transmissão de vídeo ao vivo pela internet e do quarto da casa do pai. No dia seguinte, ele também não havia sido visto até ser flagrado em um povoado da baixada bacabalense.

Curiosamente, na tarde deste sábado (14), Florismar Oliveira da Silva candidata a vereadora pelo DEM, partido comandado por Coronel Egídio, vice na chapa de Expedito Jr, aparece em uma gravação que circula nas redes sociais, onde, ela e uma outra mulher, que aparenta ser sua filha, reclamam do suposto valor financeiro recebido para trabalhar no dia da eleição. As duas chegam a mostrar as cédulas de dinheiro, no total de trezentos reais, e dois santnhos da candidata ao lado de Expedito e do Coronel. "Olha, dá trezentos reais para uma candidata trabalhar, uma candidata, e ainda dizer assim, gente, não fala pra ninguém que é para abafar o caso", diz a mulher mais nova.
Em seguida ela faz um comentário sobre a compra de votos na baixada, região da zona rural de Bacabal onde Expedito Jr esteve na sexta-feira (12). 

Professora Florismar não é a única a reclamar do desprezo com que alguns candidatos a vereador são tratados no grupo comandado por Simplício Araújo.

Já em relação aos trezentos mil para comprar votos na baixada é algo a ser investigado. Evidências existem e, mesmo ciente da derrota, Expedito Jr quer fazer de tudo para evitar que ela seja vergonhosa.