13 de dez. de 2019

Expedito Júnior representa governador Flávio Dino na inauguração do Centro de Reintegração Social da APAC/Bacabal

Expedito Júnior e Padre Ribamar Cardoso.
A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), que tem o objetivo de promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena, e o propósito de evitar a reincidência no crime, além de oferecer alternativas para o condenado se recuperar, inaugurou nesta quinta-feira (12), em Bacabal, o Centro de Reintegração Social Dr. Mário Otobboni. Localizado no prédio onde funcionou a Delegacia do 1º Distrito Policial, na rua Eurico Gaspar Dutra, o CRS tem ainda como meta proteger a sociedade, socorrer as vítimas e promover a Justiça restaurativa.
Solenidade
Na oportunidade, Expedito Júnior esteve representando o governador Flávio Dino e o secretário de estado de Administração Penitenciária, Murilo Andrade de Oliveira. “Inauguramos hoje em Bacabal um grande equipamento social resultado do esforço conjunto da Dra. Glaucia Helen Maia de Almeida [juíza titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Bacabal], e do Padre Ribamar Cardoso [Diretor-presidente da APAC/Bacabal], que com apoio do Governo do Estado, Município, Ministério Público, Defensoria Pública, OAB e da sociedade civil muito contribuirá com a ressocialização e o trabalho humanizado estabelecido pela SEAP para garantir direitos e dar oportunidades de recomeçar a vida a quem um dia errou”, pontuou.

Em sua fala, Expedito Júnior citou como exemplo algumas ações do Governo do Maranhão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. “Sugeri ao município que editasse uma lei nos termos da que já existe no estado, que em toda licitação e contratação as empresas deixem 5% das vagas para detentos e egressos, contribuindo e dando exemplo a sociedade que a ressocialização é possível”.
Da solenidade de inauguração presidida por Padre Ribamar Cardoso ainda participaram autoridades municipais, representantes do Ministério Público, do Poder Judiciário, da Subseção da OAB/Bacabal, da Polícia Militar, da Polícia Civil, como também da Unidade Prisional de Ressocialização de Bacabal (UPR).

A APAC
A Associação de Assistência aos Condenados nasce em 1972, na cidade de São José dos Campos - SP, através de um grupo de voluntários cristãos, sob a liderança do advogado e jornalista Dr. Mário Ottoboni, no presídio Humaitá, para evangelizar e dar apoio moral aos presos. A inexperiência no mundo do crime, das drogas e das prisões proporcionou a criação de uma experiência revolucionária. A sigla significava Amando o Próximo Amarás a Cristo.
A APAC é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Ela ainda opera como entidade auxiliar do poder Judiciário e Executivo, respectivamente, na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade.