Blog do Sérgio Matias

Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos. (Sócrates).

18/10/2019

CABO DE GUERRA! Disputa interna envolvendo coordenadora e superintendente da Secretaria de Saúde de Bacabal reflete no tratamento de pacientes; descaso foi denunciado a Defensoria Pública do Estado


Que o prefeito Edvan Brandão de Farias não teria preparo e muito menos pulso para administrar um município com a importância de Bacabal, ficou evidente logo que ele assumiu o cargo ainda interinamente. Com sua efetivação, uns poucos ainda creram que algo poderia mudar, como de fato mudou, porém, para pior.

Comprometido até o pescoço com a bandalheira em sua gestão - porque se beneficia dela financeiramente – ele assiste de braços cruzados a via crúcis de pacientes que necessitam do auxílio do município.

Denúncia

Os recursos repassados pelo Governo Federal e que são geridos pela Secretaria Municipal da Saúde, por meio do Programa Tratamento Fora de Domicílio (TFD), não têm sido efetivamente aplicados em prol da população. A denúncia chegou essa semana ao conhecimento da Defensoria Pública do Estado através do paciente Protásio Borges de Oliveira, morador do Residencial Terra do Sol IV.

Com provável diagnostico de lombalgia crônica, ele necessita urgentemente fazer uma ressonância magnética que confirmará ou não a doença. Segundo Protásio, a Secretaria Municipal de Saúde marcou o exame para a última segunda-feira, dia 14 de outubro, na Casa de Saúde e Maternidade de Caxias, contudo, não lhe foi disponibilizado o transporte.

Outros pacientes que também necessitam fazer a ressonância magnética para tentar diagnosticar doenças como esclerose múltipla, câncer, infartos, fraturas e até infecções, ficaram prejudicados. “Ninguém apareceu no Terminal Rodoviário para dar uma justificativa. Amanhecemos o dia lá aguardando esse transporte que deveria sair às 5 horas. É um exame importante que não temos condições financeiras para custear e por isso buscamos esse auxílio do poder público. Agora, sabe lá Deus quando será marcado novamente. Saúde é coisa séria, mas pelo visto esse pessoal da prefeitura não dá nenhuma importância”, lamentou um deles.

O Tratamento Fora de Domicílio (TFD) é concedido, exclusivamente, a pacientes atendidos na rede pública ou conveniada/contratada do SUS, e consiste no pagamento das despesas relativas ao deslocamento dos pacientes quando esgotados todos os meios no próprio município.

Em Bacabal, a responsável pelo setor é Franciane Santos, que, como o blog divulgou, vem há algum tempo travando uma disputa interna com Luciano Martins, superintendente de Atenção à Saúde, que, ao assumir por indicação do advogado Emílio Carvalho, passou a exercer atribuições que vão muito além do cargo. Uma das suas primeiras medidas o fez bater de frente com a coordenadora do TFD que perdeu regalias, como carro e motorista aos finais de semana.

Franciane também sofreu corte no salário considerado elevado demais para a função que ela ocupa. O fato motivou bate-boca na internet com troca de acusações. Reveja.

Coordenadora da saúde tem arranca-rabo com superintendente e chefe de transporte pede demissão. “Não quero viver nesse inferno”

De lá para cá os dois vivem às turras e não escondem o descontentamento de um com o outro. A briga, lamentavelmente, tem refletido diretamente na assistência aos pacientes do Tratamento Fora de Domicílio.

Esse cabo de guerra promete ‘dar pano para manga’.