Blog do Sérgio Matias

Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos. (Sócrates).

11/09/2019

Prefeitura de Bacabal terá que devolver padrão original a ambulâncias do SAMU que receberam cores da campanha eleitoral do prefeito; os veículos continuam escondidos em galpão

As novas ambulâncias doadas pelo Ministério da Saúde e que foram descaracterizadas pela Prefeitura de Bacabal para receber as cores da gestão municipal que são as mesmas da campanha eleitoral do prefeito Edvan Brandão, permanecem guardadas em uma propriedade particular. As equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência são obrigadas a continuar socorrendo a população em veículos velhos e, as vezes, nem isso. 
Ambulâncias antes e depois da descaracterização.
Ambulâncias velhas é que continuam sendo usadas.
No caso da vítima da tentativa de homicídio ocorrida na noite do último sábado (8), a imprensa mostrou ela sendo levada para o hospital na garupa de uma motocicleta.
Motivos 

Em contato com algumas pessoas ligadas a Secretaria Municipal de Saúde, o Blog do Sérgio Matias foi informado dos motivos desses veículos novos ainda não estarem servindo a população: Na pressa em substituir padronização oficial do SAMU pela cor predominantemente verde acompanhada da logomarca do governo municipal em azul; como também a tempo da solenidade de entrega realizada na última sexta-feira (6), a prefeitura acabou deixando o emplacamento em segundo plano.

Por fim, a manobra do poder público municipal  gerou críticas pelo Maranhão inteiro e chegou ao conhecimento do Ministério da Saúde. Em circunstância disso, até a noite desta terça-feira (10), quatro dias após o desfile de apresentação, as ambulâncias permaneciam escondidas no galpão do secretário de Finanças Marcelinho Sergipano aguardando para receber de volta a padronização oficial do SAMU.
A pressa ainda gerou erros de ortografia como destacou o professor Costa Filho nas redes sociais.
O pai da mentira

Enquanto a prefeitura desfaz a trapaça o deputado estadual Roberto Costa (MDB), tomando as vezes do prefeito, insiste na versão armada por ele próprio, ou seja, que as ambulâncias foram adquiridas com recursos do município, isso sem nunca ter comprovado com quaisquer documentos, pois, não é de conhecimento público que tenha  havido licitação com esse objetivo.

Ele também não cita em momento algum, por exemplo, de qual empresa o município as comprou e quanto custou cada uma.

A saída do deputado foi inverter os papéis cobrando dos críticos as provas que cabem a prefeitura mostrar. Coisa que até hoje não aconteceu.