Blog do Sérgio Matias

"Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem" (Santo Agostinho)

18/07/2019

BACABAL: Qualidade da água bebida pelos bois do prefeito é melhor da que o SAAE oferece a população

Qualidade da água oferecida pelo SAAE aos moradores
do centro e bairros de Bacabal.
Se você é daqueles que teve a oportunidade de conhecer Edvan Brandão antes da riqueza e da fama, desfaça na sua mente aquela imagem do homem simples que acordava cedo para fazer as vezes de vaqueiro e cuidar das poucas cabeças de gado que engordavam no curral da fazenda, no povoado Bela Vista.

Hoje Edvan Brandão é prefeito (pelo menos de direito) e na proporção que os dias se passam ele eleva o próprio patrimônio adquirindo bens móveis e imóveis. A quantidade de fazendas é incerta porque quase todas estão em nomes de laranjas, como a que ele comprou de um irmão do ex-prefeito José Alberto Veloso, no povoado Sobradinho, região da baixada bacabalense. O ex-deputado federal Alberto Filho foi quem intermediou o negócio com valor acima de R$ 1 milhão.

Negociar com altos volumes de dinheiro tem sido rotina na vida do prefeito de Bacabal.

Recentemente ele fez crescer seu rebanho comprando centenas de cabeças de gado do empresário e agiota Josival Cavalcante da Silva, conhecido como Pacovan, preso em 2015, na "El Berite", por utilizar empresas em nomes de terceiros para se favorecer com negócios em diversas atividades nas prefeituras. Na época também foram presos políticos e ex-funcionários da Prefeitura de Bacabal.

Vida de gado

Edvan é zeloso e cuida do seu patrimônio com afinco, diferente do que faz com o município ao qual foi eleito para administrar e, que, no entanto, deixou nas mãos dos outros.

Seus bois são sempre muito bem tratados, comem do melhor pasto e bebem água pura, elemento fundamental para todos os seres vivos, mas tem sido bastante raro nas torneiras das casas da maioria dos moradores bacabalenses, isso apesar do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), autarquia do município, ser uma das empresas que mais arrecadam.

O vultoso montante que mês após mês entra nos cofres do SAAE, ao que tudo indica, não é aplicado em sua totalidade na própria autarquia. Há alguns dias moradores do centro da cidade onde, apesar de precário o abastecimento ainda existia, ficaram sem uma gota d’água para tomar banho e fazer outras necessidades.

O fato se deu por conta do corte no fornecimento de energia do setor de atendimento aos usuários, do Sistema de Distribuição de Água Tratada - que conta com um reservatório com capacidade para 227 mil litros -, e da Estação de Tratamento de Água (ETA), que funcionam em um mesmo local, na rua Teixeira de Freitas.

Diante da calamidade e dos protestos dos moradores a direção do SAAE composta por pessoas da mais alta confiança do deputado estadual Roberto Costa (MDB), ao invés de quitar as parcelas em atraso, recorreu à Justiça que determinou, em caráter liminar, que a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) procedesse o religamento. Isso implica dizer que os moradores do centro podem a qualquer momento ficarem novamente sem a água, mesmo que suja, mas, que, ajuda a aliviar o calor durante um banho, lavar roupas e louças por exemplo.

LEIA TAMBÉM:
Proprietários de imóveis continuam levando calote da Prefeitura de Bacabal e contabilizando prejuízos