últimas Notícia

banner-DO-ESTADO-2019.jpg

14/03/2019

Prefeito de Bacabal e vereadores aliados ainda comemoram rejeição da diminuição da taxa de Iluminação Pública

Representante de um dos bairros mais penalizados, Dedê da Trizidela comemora resultado exibindo broche do prefeito.
Se tem algo capaz de tirar Edvan Brandão do sério e faze-lo vestir as calças de prefeito é a possibilidade de redução dos seus ganhos financeiros com o cargo, como foi no caso do Projeto de Lei N° 1374/2019 pautado para ser votado no plenário da Câmara Municipal nesta quarta-feira (13).

De autoria do vereador Coronel Egídio, se aprovado o projeto obrigaria o município a diminuir o valor da taxa de Iluminação Pública cobrada todos os meses na conta de energia dos bacabalenses e, que, segundo a Cemar, em 2018 rendeu 11 R$ milhões aos cofres da prefeitura.

Temendo ficar sem esse montante Edvan Brandão deixou o conforto de sua fazenda e veio a sede do poder executivo para se reunir com os vereadores da bancada governista momentos antes do início da sessão. Na conversa o prefeito fez os aliados tomarem ciência do seu desejo de ver o projeto rejeitado e lembrou que tem honrado com os pleitos de cada um deles, seja os renumerando, seja empregando parentes.

Na hora da votação não deu outra.

Apesar da justificativa e dos apelos de Coronel Egídio, o projeto foi rejeitado como era desejo do prefeito.

Além do autor, apenas os vereadores Alex Abreu, Raimundo Feitosa, Dr. Jeferson Santos, Regilda Santos e Professor Maninho ficaram a favor da redução do valor da taxa.

Votaram pela manutenção do valor cobrado:

Erivelton Martins, Irmão Leal, Joãozinho Algodãozinho, Dedê da Trizidela, Alberto Sobrinho Veloso, Venâncio do Peixe, Reginaldo do Posto, Manuel da Concórdia e Melquiades Neto.

Serafim Reis não compareceu.
Banner divulgado na internet exibe os nomes de quem votou contra e a favor da diminuição do valor da taxa.
Racha oficializado

Decepcionado com essa parte dos colegas, Coronel Egídio - que já havia anunciado a intenção de se desfiliar do MDB, partido comandado em Bacabal pelo deputado federal João Marcelo, filho do ex-senador João Alberto - em seu pronunciamento na tribuna  declarou estar deixando a bancada governista e, consequentemente, de dá apoio político ao grupo do prefeito, pois vale ressaltar que ele ainda não havia rompido oficialmente apesar de há muito tempo ser “persona non grata” entre eles, principalmente pelo deputado estadual Roberto Costa.

“Estamos com uma ação na Procuradoria Geral de Justiça. Gostaria de agradecer os vereadores que deram apoio ao Projeto de Lei e demonstram responsabilidade e compromisso com a sociedade bacabalense. A luta continua. Sempre em defesa do povo e principalmente das pessoas mais humildes", disse.
O broche de Dedê

Na sessão que rejeitou a redução do valor da taxa de Iluminação Pública alguns fatos ocorridos chamaram muita atenção. Um deles por conta da galeria repleta de servidores municipais contratados convocados para chegarem cedo e ocuparem as cadeiras, evitando que pessoas comuns da população fizessem isso. Outro, em razão da euforia nos bastidores do vereador Dedê da Trizidela que não escondia a satisfação com o resultado e fazia questão de exibir um broche personalizado com a logomarca do governo Edvan Brandão. “É curioso que um parlamentar que representa uma comunidade podre e tão penalizada com essa taxa venha votar a favor dessa cobrança abusiva e ainda desdenhar da nossa cara”, disse indignada uma moradora que assistia a sessão da calçada da Câmara Municipal.
Plenário da Câmara Municipal.
Servidores públicos contratados ocupando quase toda a galeria.
Vereadores iniciado a votação.
Sobrou pouco espaço na galeria para pessoas comuns que queriam assistir a sessão.
No mesmo dia após tomar conhecimento do resultado da votação internautas bombardearam as redes sociais com críticas ao prefeito e aos seus vereadores aliados. Um dos principais alvos foi Alberto Veloso, sobrinho do ex-prefeito Zé Alberto.

A emenda pior que o soneto

Diante da pressão popular o vereador gravou um vídeo para se defender e que foi compartilhado por sua assessoria na internet. O vereador novamente recebeu críticas e o melhor seria só ter ido comemorar com o prefeito como fizeram os seus demais colegas.
banner-DO-ESTADO-2019.jpg