últimas Notícia

banner-DO-ESTADO-2019.jpg

26/02/2019

Para conter insatisfação popular prefeito apela para tudo e nada funciona, nem projeto de R$ 1,5 milhão resolve


Projeto de marketing para limpar a imagem da gestão Edvan Brandão vai custar R$ 1,5 milhão.
A contratação, por meio de licitação, de empresa(s) de comunicação para a divulgação das ações do governo municipal, marcada para o último dia 14 de fevereiro, às 14 horas, na sede do poder executivo, até hoje não aconteceu, isso, apesar do serviço já está sendo prestado há quase ou mais de um mês pelo marqueteiro Fábio Gomes, o popular “Fabão”, que trabalhou na campanha a prefeito de César Brito (PPS) e agora foi requisitado pelo deputado estadual Roberto Costa (MDB) para tentar mudar a imagem negativa da gestão.


O valor vultoso chamou a atenção de empresas locais e até de outros estados que se mostraram interessadas e passaram a também concorrer. Com isso, se vendo impossibilitada de colocar em prática o plano para favorecer “Fabão”, a Prefeitura de Bacabal resolveu adiar a tomada de preços alegando a falta de alguns critérios nas empresas concorrentes.

Sendo assim as ações de marketing para tentar salvar a gestão Edvan Brandão vão sendo feitas irregularmente e sem conseguir êxito algum.

A constatação
Município tentando tapar buraco com barro,
Enquanto populares contratam carroceiros para tapar buracos nas ruas com entulhos, a prefeitura tenta conter a insatisfação popular adotando medidas que fazem é piorar a impopularidade da gestão e do prefeito, já considerado por todos como o pior de 1920 para cá.

No que diz respeito aos buracos, o município tem utilizado barro para tapa-los, serviço que, além de desaconselhado, devido as chuvas não dura mais do que algumas horas ou até mesmo minutos.

Outro setor que também passou essa semana a querer desviar o foco da opinião pública é a Assistência Social com doações de cadeiras de rodas que, durante esses nove meses, é provável que não somam cinco no total.

Até de uma campanha promovida por populares em prol de uma idosa cadeirante tentaram tirar proveitos políticos. Para se autopromover, o secretário de Administração Davi Brandão, o “Rei Davi”, filho de Edvan, alardeou na imprensa que a iniciativa era dele e “se esqueceu” de dizer a verdade.

A jogada logo caiu por terra e foram os próprios aliados que trataram de fazer isso.
banner-DO-ESTADO-2019.jpg