15/02/2019

ISSO É BACABAL Auxiliar de serviços gerais é demitida da prefeitura em represália ao filho


Para permanecer na prefeitura Edvan Brandão se utilizou de todos os meios. Cooptou apoio político em troca de dinheiro, empregos e promessas de secretarias. Da família do ex-prefeito Zé Alberto, por exemplo, não ficou ninguém sem um bico no governo.

Ainda durante a interinidade da gestão, servidores contratados foram coagidos e oprimidos. Aqueles que se atreveram a não ceder, sentem até hoje na pele, pois como vingança vieram as demissões em massa, e, pior, sem direito a remuneração salarial pelos meses trabalhados.

No caso de alguns deles a injustiça foi maior ainda porque antes haviam sido obrigados a cumprir jornada tripla de trabalho. Pela manhã servindo ao município, durante tarde e noite aos interesses eleitoreiros do prefeito em eventos de campanha.

As perseguições não cessaram com o resultado positivo nas urnas, elas, aliás, até aumentaram.

Hoje, envolvido em negociatas e acusado de enriquecer ilicitamente sangrando os cofres do município, além de ostentar o título de pior prefeito da história, Edvan Brandão não admite críticas ou opiniões contrárias e tenta conte-las com ameaças ou represálias.

Esse foi o caso do cidadão Lucas Santos, morador do bairro Trizidela. Crítico feroz dos desmandos dos atuais administradores municipais ele teve sua mãe demitida do emprego nesta quinta-feira (14).

Auxiliar de Serviços Gerais, Raimunda Linhares de Sousa, conhecida como Sandra, trabalhava no município desde 2009. Da área da saúde, estava lotada no Hospital Materno Infantil.

Tida pela direção e pelos colegas de labuta como uma servidora dedicada e de conduta ilibada ela sequer encontra tempo para fazer uso das redes sociais ou participar de rodas de conversas para debater sobre a situação política local ou outros temas.

Ainda assim, foi demitida por represália ao filho.

Com certeza esse meio de intimidação a população carente persistirá com o intuito de amordaçar familiares de outros servidores e esses próprios profissionais que lutam incessantemente pelo pão de cada dia.

Mas, se nossos vereadores e a justiça calam diante dessas afrontas, haverá sempre quem se disponha a continuar denunciando, e, agora, bem mais.

LEIA TAMBÉM: