06/02/2019

BACABAL: R$ 3,1 milhões para asfalto desceram na lama da chuva ou desapareceram num passe de mágica

Não deve ser fácil para Edvan Brandão lidar  com a atual situação da sua gestão que ainda terá muitas explicações a dar, como, por exemplo, onde foram parar os mais de três milhões que seriam para a pavimentação asfáltica da cidade.

Esse contrato celebrado ainda em setembro, às vésperas da eleição municipal suplementar no ano passado, se resumiram ao recapeamento de algumas poucas vias, e só no intuito eleitoreiro, porque cinco meses depois Bacabal permanece num “buraco só”.
As ruas e avenidas dos bairros e centro que ainda tinham alguns trechos com asfalto ficaram praticamente sem ele, as demais nem se fala. As imagens abaixo feitas pela equipe do Blog do Sérgio Matias e por internautas comprovam.
E o que dizer das estradas vicinais?

Essa que dá acesso ao povoado Barrigudinha, medindo cerca de dois quilômetros,  nem mereceu atenção.
À francesa

No meio do tsunami que teima em arrastar Edvan Brandão, quem anda evitando aparecer é Roberto Costa (MDB).

O deputado estadual apoiado pelo grupo político do prefeito é bastante atuante nos bastidores do governo municipal onde as principais pastas são ocupadas por apadrinhados seus e ele é quem indiretamente comanda.

As últimas vezes que Edvan e Roberto haviam  sido vistos ombreados em público foram no inicio da administração. Época que, por sinal, começaram as dúvidas de quem realmente manda na prefeitura.
Com a derrocada da gestão o deputado sai de cena. No entanto, na solenidade de sua posse na Assembleia Legislativa, no último dia 1°, Roberto fez questão da presença do prefeito em São Luís para exibi-lo como rebento no plenário.

Depois da sessão solene e antes de ser mandado de volta para Bacabal, Edvan ainda ficou de portas fechadas no gabinete do deputado. Lá, sentados lado a lado, se pronunciaram para a câmera da equipe de marketing contratada pela prefeitura recentemente.

Na gravação o prefeito disse poucas palavras para não errar o que havia ensaiado.
Reação

Assistindo a cena depois, um ex-correligionário  do prefeito foi categórico: “Esse [Edvan] tem pés e mãos amarrados com Roberto Costa. Não é homem suficiente para sair desse abismo que se meteu”.