Blog do Sérgio Matias

Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. (Mateus 7:15)

05/01/2019

Prefeito de Bacabal navega em águas mansas

... e população permanece na lama.
Ao que parece o prefeito Edvan Brandão (PSC), ou alguém que age por ele na Prefeitura de BacabaI, estar decidido a navegar em águas mansas durante esses dois anos de governo.

Na Câmara Municipal a oposição, que já chegou a ter oito dos dezessetes vereadores, atualmente se ressume a três: o ex-candidato a prefeito César Brito (PPS), Jefferson Santos (PC do B) e Regilda Santos (REDE).

Alex Abreu, Irmão D'esleal e Erivelto Martins, foram os últimos cooptados e já iníciam o segundo período legislativo integrando a bancada que dá sustentação ao poder executivo na câmara.

“Aprovar tudo a qualquer custo” é o lema.

A imprensa, tida como o quarto poder, também tem sido cortejada e preço não é empecilho.

No que tange a área televisiva, pelo menos por enquanto, o prefeito não se queixa.

Nenhuma das emissoras locais tem se voltado com ímpeto aos reclames da população.

A Mearim, pioneira e de maior audiência, crítica ferrenha e, até então, opositora, iniciou  “namoro” com o prefeito.

Como já divulgado pelo blog, a via é o diretor geral e também promotor de eventos Jaime Rocha, que, como afago, recebeu de Edvan a garantia de ser o responsável pelas contratações artísticas do carnaval, aniversário da cidade e até do São João, em 2019/2020.

À Jaime também foi dado patrocínio para o show de uma dupla sertaneja de renome nacional que acontece no próximo dia 16 de janeiro, no Centro Cultural.

Por fim, uma não menos tentadora oferta foi feita recentemente à um apresentador de TV, integrante da oposição. 

O salário oferecido não é pra qualquer um.

O emissário do prefeito, a princípio, recebeu um sonoro “não”, mas a determinação é que insista, persista e não desista.

Em breve saberemos se a empreitada terá êxito.

Até lá vamos nos contentando com a falta de água nas torneiras, servidores demitidos ainda sem receber seus salários (calote), e ruas que mais parecem pista de rally.

A população é quem continua se “virando nos 20” para amenizar a buraqueira.