Blog do Sérgio Matias

"Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem" (Santo Agostinho)

27/01/2019

Policiais militares que torturam casal para roubar, acariciaram os seios e introduziram arma na vagina da mulher


Soldados Nascimento (foragido) e Túlyo de Pádua(preso).
O caso dos policiais militares que submeteram um casal a tortura física e psicológica em Bacabal para subtrair dinheiro, repercute em todo o Maranhão e foi mais grave do que se imaginava. Até a Delegacia Regional e o próprio comando do 15º BPM se pronunciarem à imprensa, não se sabia dos detalhes do modo que os soldados Túlyo de Pádua Santos Ribeiro e um outro identificado como Nascimento, ambos lotados no 23º BPM de São Mateus do Maranhão, haviam agido.

Mas, de acordo com informações do delegado Alexandre Sermoud e relatório da própria Polícia Militar, Anderson Cleiton Lopes teve sua residência, na rua Clores Miranda, invadida pelos dois policiais à paisana que se aproveitaram do fato que no imóvel também funcionar um pequeno comércio para alegar que estariam interessados em comprar uma garrafa de vinho. Como a esposa do proprietário lhes disse não haver o produto, os dois forçaram a entrada e deram início a sessão de tortura.

Na ação o casal foi agredido física e psicologicamente para que entregasse uma determinada quantia em dinheiro que seria proveniente do assalto a Central de Distribuição do Banco do Brasil ocorrido em novembro do ano passado, quando os assaltantes deixaram para trás algo em torno de R$ 20 milhões que foram furtados em seguida por populares.

As vítimas relatam ainda que seus dois filhos, com síndrome de Down, assistiram a tudo, inclusive as cenas brutais em que os pais levaram socos e tiveram a arma de fogo apontada para a cabeça.

Como parte da tortura os policiais ainda rasgaram parte das roupas da esposa de Anderson Cleiton, acariciaram seus seios e, pasmem, introduziram a arma de fogo em sua vagina. Agressões que, posteriormente, foram comprovadas em exames.

Cansados de apanharem e temendo a morte de toda a família, as vítimas resolveram então revelar que o dinheiro estaria na residência da mãe de Anderson Cleiton, na rua Osvaldo Cruz, para onde ele e os dois policiais seguiram já no início da madrugada do sábado (26).

Lá subtraíram R$ 3.005,00 (três mil e cinco reais).

Neste intervalo a guarnição de serviço do 15º BPM foi acionada e informada sobre a ação, se deslocando até o local onde os dois policiais haviam acabado de sair. De imediato a guarnição fez incursões e, logo, conseguiu interceptar o soldado Túlyo de Pádua de posse do dinheiro e de uma pistola Taurus, com 21 munições intactas. A arma pertence a corporação.
Dinheiro e arma de fogo apreendidos com o soldado Túlyo.
O soldado Nascimento não foi encontrado, porém, já constituiu um advogado que esteve na delegacia garantindo que o mesmo se apresentará.

Anderson Cleiton confessou ter em sua posse R$ 16.000,00 (dezesseis mil reais) pertencentes ao banco e que foram apreendidos.

Túlyo de Pádua foi encaminhado para o Comando Geral da Polícia Militar em São Luís.

O delegado Alexandre Sermoud disse não descartar a possibilidade que os policiais possam ter feito outras vítimas.

Bandeira 2

O repórter Romário Alves acompanha o caso e mais detalhes você terá no programa Bandeira 2 (TV Difusora) que vai ao ar nesta segunda-feira (28), a partir das 6h45.