08/01/2019

O ÚLTIMO A SABER! Prefeito de Bacabal desconfia que foi “passado pra trás”

A Secretaria Municipal de Saúde de Bacabal anunciou nesta terça-feira (8) que, por determinação do prefeito Edvan Brandão (PSC), foi baixada portaria instituindo, no âmbito da pasta, o recadastramento dos seus servidores. O recadastramento, obrigatório, ocorrerá no período do dia 10 ao dia 31 de janeiro.
A medida foi tomada em função da suspeita  de constarem na folha de pagamento funcionários nomeados na véspera da campanha eleitoral a deputado e que nunca colocaram os pés no local de trabalho, mas, ainda assim, recebem salários, oneram as finanças, comprometem a qualidade da prestação de serviço aos usuários, e, pior, incidem no crime de peculato, “delito funcional, que se consuma no momento em que o funcionário público se apropria do dinheiro, valor ou outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo”.

No meio dessa lista de funcionários fantasmas teriam nomes de pessoas de outro município (vizinho) e até da nossa capital que nunca, sequer, beberam da água do Mearim e nem fazem ideia  a qual região do mapa Bacabal pertence.

O último a saber

O prefeito começa a ver que na sua gestão há tramóias além das quais provavelmente compactua, e, que, outros caciques ditam mais ordens do que ele mesmo, com tentáculos não só na Saúde, mas nas principais pastas do governo, sobretudo, naquelas que arrecadam, geram contratos robustos e são agraciadas com vultosos  repasses.

Dizem até que o recadastramento atingirá outras secretarias, no que pode resultar em uma implosão no próprio grupo político do prefeito, um "racha" para ser mais exato.