24 de fev. de 2021

SE ARREPENDIMENTO MATASSE... Pacientes que dependem de hospital e centros de saúde de Governador Nunes Freire padecem assim como demais moradores abandonados à própria sorte

Com pouco mais de 25 mil habitantes, o município de Governador Nunes Freire, no oeste do estado, tem um único hospital público, ainda assim, funcionando precariamente. Os problemas são incontáveis e se agravaram neste período de chuvas. Em uma gravação de vídeo feita por celular é possível ter uma pequena noção do descaso. Em consequência de infiltrações nas paredes e de telhas quebradas as enfermarias, salas e corredores ficam completamente alagadas, expondo os pacientes e os próprios funcionários à doenças trazidas pela água suja e contaminada.

 Como também mostram registros feitos pela população, as outras unidades de saúde do município sofrem com os mesmo problemas. Em um centro de saúde, próximo a Praça da Família, foi preciso recorrer à baldes, cestos de lixo e até panelas para aparar a água proveniente das inúmeras goteiras. “Olha como está o centro de saúde, só goteiras, pelo amor de Deus, isso é uma coisa horrível”, lamenta um morador enquanto faz as imagens.

A indignação ainda é constatada nas ruas, que, por falta de saneamento e limpeza dos esgotos, bueiros e galerias, alagam, fazendo a água invadir as residências e os comércios. Como não poderia ser diferente, os prejuízos são grandes.

O município tem como prefeito Josimar da Serraria, do PSB, alvo de vários processos, que, inclusive, resultou em seu afastamento do cargo por 60 dias em outubro do ano passado. Uma das graves denúncias é relacionada a má aplicação dos recursos destinados pelo Governo Federal para o enfrentamento ao novo coronavírus, porém, há por atraso de pagamento dos funcionários, licitações irregulares, dentre outras.

 Enquanto Josimar da Serraria esteve afastado o vereador Luís Fernando Pereira assumiu o comando do Executivo como prefeito interino. Ainda em novembro de 2020 Serraria retomou ao cargo via liminar e, com uso da máquina pública, venceu a eleição. Hoje, aqueles que apostaram que o gestor mudaria o rumo da sua administração que já era caótica, se arrependem amargamente.