6 de fev. de 2021

Presidente Manuel da Concórdia comanda comitiva de vereadores e deputados em audiência contra o fechamento de agência do Banco do Brasil em Bacabal

Assecom Câmara, com fotos de Cleber Lima - Atendendo a ação foi movida pelo Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB - Ma), o juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, expediu Medida Liminar suspendendo o fechamento das agências do Banco do Brasil em todo o país, durante o período da pandemia de Covid-19, entre as quais a de Bacabal, localizada na Rua Teixeira Mendes. A decisão barra o plano da instituição de fechar mais de 200 agências e implantar um plano de demissão voluntária que deve atingir mais de 5 mil funcionários, anunciado em 11 de janeiro.


A decisão, entretanto, não mudou a posição  tomada pelo presidente da Mesa Diretora da câmara municipal de Bacabal, vereador Manuel da Concórdia (PDT), que manteve audiência agendada para a última quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021, às 11 horas, na sede da superintendência, com o superintende regional do Banco do Brasil no Maranhão, José Soares de Oliveira Neto, explicando que "a liminar do Juiz Douglas Martins só assegura o funcionamento das agências, entre elas a de Bacabal, enquanto durar a pandemia. A decisão do presidente da diretoria executiva do Banco, André Guilherme Brandão, é manter o fechamento, por isso não mudamos nossa agenda e fomos a São Luís", frisou o parlamentar.

Em São Luís a comissão liderada por Manuel da Concórdia, e composta pelos vereadores Maurício Silva (PROS), Anderson Viana (PL), Alex Abreu (Republicanos), Feitosa (SD), Reginaldo do Posto (PDT), Valdivan da Bela Vista (PDT), Dedê da Tresidela (PSC) e Fernando da Luisiana (PDT), além da procuradora geral da Casa Jamile Lobo, juntou-se ao deputado Federal João Marcelo (MDB) e aos deputados estaduais Roberto Costa (MDB) e Carlinhos Florêncio (PC do B), que atenderam ao pedido de Concórdia para se engajarem na luta contra o fechamento da agência de Bacabal.


A comissão foi recebida, na sede da superintendência, por José Soares, e ouviu do presidente Manuel da Concórdia, e dos seus demais integrantes, os argumentos que asseguram que,  desde o início do seu funcionamento a agência da Rua Teixeira Mendes vem desempenhando o seu papel com agente econômico de forma satisfatória, performando lucros ao conglomerado do Banco do Brasil em todas as modalidades de avaliação estabelecidas por sua coordenação, não se tratando de agência deficitária, que mais de 7 mil correntistas serão afetados, direta e indiretamente, sem contar que, no item, toda uma população bancária da região, que se utiliza do suporte funcional pela agência proporcionado, serão afetados por seu fechamento precoce, entre outros prejuízos já levantados.


Manuel da Concórdia mostrou ainda que o parlamento de Bacabal sempre se preocupou com a prestação dos serviços bancários no município. Exemplificou com a aprovação da Lei 996, de 10 de agosto de 2015, que regulamentou o tempo de atendimento ao público nas agências bancárias aqui estabelecidas, inicialmente em 20 minutos nos dias normais e em 30 minutos nas vésperas e após os feriados, que foi atualizada em 2015 com a elevação dos valores das suas penalidades, em caso de não cumprimento e de reincidência.

Mostrou, também, que a câmara aprovou  Projeto de Lei, de autoria do vereador que obriga os estabelecimentos bancários à comunicar aos seus clientes sobre a indisponibilidade de saques e depósitos bancários em suas respectivas agências caixas eletrônicos, em finais de semana,feriados e dias santos.

Ao final da oitiva, ao expor sua posição sobre as demandas apresentadas pelos vereadores bacabalenses, todas corroboradas pelos três deputados e pelo ex-vice-prefeito,  o superintende regional do Banco do Brasil no Maranhão, José Soares de Oliveira Neto, se comprometeu em promover visita a agência que está ameaçada de fechamento em Bacabal para verificar, in loco, as reais condições nas quais os serviços bancários são prestados no município.


O presidente Manuel da Concórdia, assim como os vereadores que compuseram a comitiva, além dos deputados e do ex-prefeito interino avaliaram o encontro como muito positivo. Concórdia, todavia, arremata afirmando que "vamos nos manter atentos. A nossa luta e pelo não fechamento da agência. Vamos permanecer mobilizados enquanto a ameaça persistir".