Blog do Sérgio Matias

Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. (Mateus 7:15)

20/09/2019

Discórdia é a palavra do momento na Prefeitura de Bacabal

Discórdia é a palavra do momento entre os integrantes do grupo político que tomou posse da Prefeitura de Bacabal. A bagunça começa pelo chefe do executivo, Edvan Brandão de Farias,  que de chefe anda longe.

O município é de fato administrado pelo deputado estadual Roberto Costa (MDB), tendo Emílio Carvalho e Marcelinho Sergipano como seus principais operadores.

Foi deles, por exemplo, que partiu a determinação para promover demissão em massa de servidores; descaracterizar ambulâncias do SAMU que permanecem escondidas em galpão de propriedade de um deles sem atender a população; contratar um novo diretor para triplicar o faturamento do SAAE e, ainda, a trama posta em prática para tornar Edvan Brandão inelegível. 

Também parte do trio a cooptação de adversários com ofertas tentadoras em dinheiro e perseguições a aliados que desobedecem as regras impostas.

O caso mais recente foi em relação ao imbróglio entre o dono de uma área localizada no bairro Jardim Valéria e alguns moradores de lá.

Como já divulgado pelo Blog do Sérgio Matias, o esgoto das fossas sépticas das residências foi direcionado pela Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo para um terreno pertencente ao empresário  Leonardo Lacerda, que, por sua vez, após não ter seus apelos atendidos pelo município, mandou  obstruir as manilhas.

A medida, óbvio, causou o entupimento do esgoto, obrigando os moradores a abrir valas pelo meio da rua.
Neste período de tempo o proprietário do terreno contratou os serviços de um engenheiro civil que elaborou um laudo técnico da área revelando os efeitos danosos causados pelo esgoto, inclusive ao meio ambiente.

O engenheiro, que até então também prestava serviço para a prefeitura, acabou sendo demitido em retaliação.

Essa onda de perseguições ainda atingiu em cheio a bancada de vereadores  que dá sustentação ao governo na câmara. É que boa parte dos servidores demitidos esse mês fazia parte do pacote de favores e vantagens em troca do apoio desses parlamentares ao governo.

Pressionados, alguns dos vereadores revelam que não conseguem ser recebidos por Edvan Brandão para tratam reservadamente sobre o assunto. Outros, cientes da falta de pulso do prefeito, correram para a Assembleia Legislativa, em São Luís, tratar  diretamente com o deputado Roberto Costa.

Foi o caso de Natália Duda (MDB).