Blog do Sérgio Matias

Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos. (Sócrates).

13/08/2019

SAMBA DO CRIOULO DOIDO! Gestão Edvan Brandão fez 19 trocas de secretários num prazo de 1 ano

Da primeira leva de secretários restam poucos. A maioria pediu para sair decepcionada
com a falta de rumo da gestão e de pulso do prefeito.
Que o grupo político que hoje comanda a Prefeitura de Bacabal é incompetente, não se discute mais, é público e notório. Ainda assim alguns fatos surpreendem, como o número elevado de troca de secretários e de titulares de outras pastas importantes. Para se ter uma noção, em pelo menos quatro delas (Administração, Saúde, Educação e Saae - autarquia municipal) houve três mudanças de comando (cada) num prazo de doze meses, o que corresponde a quatro meses para cada secretário.

Na Administração o primeiro a ser empossado foi Ely Brandão de Farias (irmão do prefeito), substituído pela esposa Rita Albuquerque de Farias (cunhada do prefeito), que depois cedeu o lugar para Davi Brandão (filho do prefeito).

Pela Saúde passaram o bioquímico farmacêutico Silas Duarte de Oliveira, o médico e vereador Dr. Lula e agora o contabilista James Soares.

Na Semed o "samba do crioulo doido" começou por Waltersar Carneiro que, em seguida, passou o bastão para a professora Ivane Ramos, essa não demorou muito na cadeira e pediu exoneração do cargo. No lugar dela assumiu o também professor Marcos Ferreira, o Marquinhos.

Na pasta do Meio Ambiente Anderson Viana foi substituído por José Oliveira, o "Irmão Zé". Na Juventude saiu Marcos Ferreira e assumiu Leonardo Diego Cipriano.

Nomeada para a Finanças, a vereadora Natália Duda (MDB) perdeu espaço  e agora comanda a Emprego e Renda que antes tinha Jerry Ibiapina à frente.

No Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), autarquia com status de secretaria, a bagunça administrativa é maior ainda. Marcelinho  Sergipano assumiu o órgão no início do governo de olho no faturamento milionário. Como "não sabe da missa um terço" no que tange ao setor, iniciou um processo de degradação da imagem da empresa que já foi sinônimo de bons serviços prestados.

Marcelinho migrou para a Finanças e assumiu a vaga um funcionário de carreira. Respeitado entre os colegas, Jorgival Lima Mendes foi na verdade usado como bode expiatório e nada pôde fazer porque nunca lhe deram autonomia para resolver absolutamente nada, até porque essa nunca foi a intenção dos nossos atuais governantes.

Nesta segunda-feira (12) o prefeito (de direito) Edvan Brandão deu posse ao terceiro diretor, esse importado de Caxias com o rótulo de “craque”.

Por fim, não podemos esquecer da Controladoria Geral do Município, outra pasta com status de secretaria, que já está com seu terceiro titular. O primeiro foi o advogado Emílio Carvalho, depois o seu segurança particular PM Maksondeygon Farias de Castro Pinto. Atualmente é outro PM que "ocupa" a vaga, muito embora o advogado continue no "controle".

A Regra do Jogo

Todas as trocas citadas acima, inclusive as que envolvem familiares do prefeito, foram determinadas pelo "Pai", deputado estadual Roberto Costa (MDB), quem de fato dá a ultima palavra em tudo e é responsável direto pela pior gestão que já passou pela Prefeitura de Bacabal nesses quase cem anos de emancipação.