Blog do Sérgio Matias

"Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem" (Santo Agostinho)

04/06/2019

"Teve um dos braços quase amputado", diz testemunha sobre uma das crianças que morreram em deslizamento no Chile

A grande imprensa nacional repercute a tragédia que vitimou duas crianças bacabalenses em deslizamento de rocha ocorrido no Chile, nesta segunda-feira (3). Em uma das reportagens, publicada pelo O Globo, o supervisor de loja Diego Marinho narra o momento exato em que Khálida Trabussi Lisboa, de 3 anos, e Isadora Bringel, de 7, foram atingidas quando brincavam na neve, perto de uma encosta, na subida da montanha de El Yeso, a cerca de cem quilômetros de Santiago. Elas estavam acompanhadas por uma terceira menina e do pai de uma das crianças.

Marinho conta que, ao ver a pedra deslizando, gritou para que as pessoas corressem.

Turistas que estavam próximo conseguiram puxar a terceira menina antes que ela fosse atingida.

- Era uma rocha mais ou menos do tamanho de um pneu. Ela acabou batendo uma pedra maior e se dividiu em dois pedaços. Nós gritamos para que as pessoas corressem, mas a rocha atingiu as duas meninas. Como eu estava perto, me entregaram a menina que não se machucou e pediram para que eu cuidasse dela enquanto tentavam resgatar as outras - contou.
O acidente aconteceu na metade do caminho para o topo da montanha, onde é possível ter a visão panorâmica do reservatório de El Yeso. Ainda de acordo com o relato, Jorge Trabulsi, médico e pai de Khálida, tentou salvar a filha após ela ser atingida — ele tentou reanimá-la, sem sucesso e, então, então, descer a criança até a base da montanha.

— O caminho estava muito escorregadio. Para ajudar o pai a descer a criança, alguns outros homens que estavam perto revezaram para segurar a menina e não correr o risco de tropeçar e cair. Eu estava com a terceira criança, que não foi atingida, e desci com eles — relatou Marinho
.
A vítima de 7 anos, Isadora Bringel, foi resgatada pouco tempo depois.

Segundo Marinho, na tentativa de salvar a criança, os turistas improvisaram uma maca arrancada do local do acidente para descer a menina — ela teve um dos braços quase amputado.

— O pai dessa segunda criança [o médico Marcelo Bringel] fez uma massagem cardíaca nela. A menina chegou a vomitar muita água, como se tivesse se afogado, mas continuou inconsciente — disse o supervisor.

"Está todo mundo em estado de choque"
Em outra reportagem, essa no Portal G1, o ex-prefeito de Bacabal, Dr. Lisboa, avô da Khálida, contou que a família está em estado de choque com a morte da neta, que completaria 4 anos no dia 22 de junho.
"O convívio não poderia ser melhor. Era uma menina alegre. Quarta-feira foi meu aniversário e ela fez um bolo para mim, cantou parabéns para mim. Era uma criança maravilhosa, amada. Está todo mundo em estado de choque", contou o ex-prefeito.

LEIA TAMBÉM: