15/03/2019

Prefeito “carne de galo” amolece com pressão popular e dá sinais que aceitará reduzir taxa de Iluminação Pública

Não foi só de abraços e sorrisos a comemoração do prefeito Edvan Brandão (PSC) e dos vereadores aliados que rejeitaram na Câmara Municipal de Bacabal projeto de lei que propunha a redução do valor da taxa da Iluminação Pública e que arrecada em torno de R$ 1 milhão por mês. Em meio a tudo houve alguém que  lembrasse aos mesmos que a repercussão  entre a população foi a pior possível e o melhor seria o quanto antes encontrar uma forma de acalmar a opinião pública.

Para tanto o poder executivo deve encaminhar a câmara, em breve, projeto de lei semelhante ao de autoria do vereador Coronel Egídio rejeitado nesta quarta-feira (13), por orientação do próprio prefeito.

Essa intenção ficou evidente em declarações feitas posteriormente pelos vereadores governistas Alberto Sobrinho Veloso e Dedê da Trizidela, representante de uma das comunidades mais penalizadas com a cobrança abusiva. Os dois votaram contra a redução do valor da taxa, mas, diante das críticas, dizem agora que pensam o contrário.

Vereador do broche
“O projeto apresentado pelo vereador Egídio Amaral, NÃO é de sua responsabilidade, mas, sim, do poder executivo. Assim que o prefeito Edvan Brandão encaminhar o projeto para a Câmara Municipal de Vereadores de Bacabal, irei votar a favor do povo de Bacabal”, escreveu Dedê nas redes sociais.

Sobrinho Veloso preferiu se justificar através de gravação de vídeo também compartilhada na internet.
Além de Coronel Egídio, apenas os vereadores Alex Abreu, Raimundo Feitosa, Dr. Jeferson Santos, Regilda Santos e Professor Maninho ficaram a favor da redução do valor da taxa.

Votaram pela manutenção do valor cobrado:

Erivelton Martins, Irmão Leal, Joãozinho Algodãozinho, Dedê da Trizidela, Alberto Sobrinho Veloso, Venâncio do Peixe, Reginaldo do Posto, Manuel da Concórdia e Melquiades Neto.

Serafim Reis não compareceu.

Da galeria onde servidores municipais contratados foram levados para ocuparem as cadeiras, uma senhora achou espaço para protestar.
Enquanto o prefeito tenta ganhar tempo para abocanhar mais alguns milhões com a cobrança abusiva, uma ação de iniciativa popular recolhe assinaturas contra a taxa.

A comissão estará neste domingo (17) na àrea do Terminal Rodoviária e, segunda-feira (18), na praça Silva Neto, em frente ao Armazém Paraíba.