últimas Notícia

banner-DO-ESTADO-2019.jpg

18/02/2019

Deixado de lado pelo irmão prefeito, Ely Brandão almeja ser vereador novamente


Ely com o irmão Edvan Brandão antes dele ser contaminado pela cobiça do poder e do dinheiro.
A família Brandão de Farias passou a ser respeitada politicamente em Bacabal através da parceria entre o então vereador Zé Vieira (1993 a 1996) e Seu Veras, pai do atual prefeito, fazendeiro querido pelos moradores de toda a região da baixada, que, até aquela época, pouco era assistida pelo poder público municipal.

Com o estreitamento do laço entre os dois e o intuito de Zé Vieira em se eleger pela primeira vez a prefeito para suceder Jocimar, o povoado Bela Vista, assim como toda a região, passou a ter do vereador uma atenção especial e sendo alcançada por inúmeros benefícios como melhorias de estradas, arado de terra, doações de sementes, casas de farinha, perfuração de poços artesianos e etc. Tudo bancado com recursos próprios de Zé Vieira que tinha como outra pretensão fazer de Seu Veras vereador, no entanto, a candidatura não se concretizou.

Na eleição municipal, em 1996, Zé Vieira que fazia as vezes de prefeito se elegeu para comandar o poder executivo.

Quatro anos depois, Ely Brandão, também filho de Seu Veras, se candidatou e se elegeu a vereador em pleito eleitoral que Zé Vieira se reelegeu a prefeito.

Em 2004, Ely voltou a se candidatar e novamente obteve êxito. Ao tentar o terceiro mandato, em 2008, acabou tendo o pedido de candidatura indeferido em circunstância de uma dupla filiação partidária.

Em 2012 não concorreu e foi substituído pelo irmão.

Surgia na cena política Edvan Brandão de Farias.

Reeleito a vereador em 2016, cumpriria mandato até 2020, entretanto, com a queda do prefeito Zé Vieira do exercício da sua terceira gestão, Edvan - presidente do poder legislativo -  assumiu os destinos do município interinamente até a realização da eleição suplementar na qual concorreu pra permanecer no cargo, neste caso, apoiado pelo grupo João Alberto.

Ainda na interinidade, Edvan nomeou o irmão Ely Brandão como secretário municipal de Administração, mas, que, no entanto, na prática não determinava nada, e, logo, foi perdendo o pouco espaço que tinha dentro do governo.

Passados poucos meses se viu novamente diante de um impedimento legal, o de ser aposentado e não puder exercer o cargo para evitar a duplicidade de remuneração.

Ely chegou a ser substituído pela esposa que, em seguida, teve que ceder o lugar para o sobrinho Davi Farias, filho de Edvan.

Desde então os dois irmãos, ex-secretário e prefeito, não andam falando a mesma língua.

Se sentindo colocado de lado e ciente da enorme possibilidade do irmão torna-se inelegível em função da ação eleitoral que é alvo na justiça, Ely agora almeja voltar a disputar uma vaga de vereador, o que por lei não poderá ser nas eleições de 2020, pois o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins do chefe do executivo são impedidos de se candidatar a cargo eletivo na mesma jurisdição.

Outra possibilidade vislumbrada por Ely Brandão é a do irmão, diante da impopularidade, abrir mão da reeleição como ocorreu com  o ex-prefeito Zé Alberto.

Aviso aos navegantes

As  informações referentes ao desejo de Ely Brandão foram repassadas por ele mesmo ao titular do blog durante conversa informal.

A publicação foi autorizada.
banner-DO-ESTADO-2019.jpg