últimas Notícia

banner-CL-NICA-M-DICA-POPULAR-GIF

12/12/2018

Mãe de suspeito de executar conhecido a bala nega ter comprado arma do crime e diz temer retaliações

Keila Gonçalves Brandão, mãe de 9 filhos, incluindo o suspeito de matar José Ribamar Muniz Silva, conhecido como "Zé Pequeno", de 35 anos de idade, atingido a bala por volta das 18h30 desta terça-feira-feira (11), em Bacabal, esteve concedendo entrevista ao vivo nos estúdios da TV Difusora durante o programa Bandeira 2, apresentado por Romário Alves.

"Zé Pequeno" era irmão do traficante de drogas “João Bobó”.

Ela disse ter procurado o programa em virtude dos comentários de telespectadores afirmando, entre outras coisas, que a mesma havia sido uma das pessoas que se apropriaram do dinheiro deixado para trás pelos bandidos que assaltaram a central de distribuição do Banco do Brasil, no último dia 25 de novembro, e com esse dinheiro teria comprado a arma de fogo utilizada pelo filho.

Keila supõe que Kenis Gonçalves (foto acima), de 18 anos de idade, que se encontra foragido, tenha cometido o crime por ciúmes da esposa, que reside próximo ao irmão da vítima, e nessa versão ela ainda cita um enteado de “João Bobó”.

Em relação às eventuais retaliações por parte da família da vítima, Keila (na foto abaixo com Romário Alves) disse temer. “Eu to dentro da minha casa, mas estou com medo. Pela manhã ele [Zé Pequeno] chegou lá em casa e pegou na mão do meu filho e perguntou se estava tudo ‘de boa’, mas também não falou mais nada. Aí quando eu soube foi desse caso [o crime]".
A mãe ainda fez referências a outros crimes do filho e envolvimento dele com comparsas de má índole. “Os policiais civis e militares me conhecem porque já fui deixar na delegacia roubo que ele fez. Nunca fui casada com pastor, nem advogado, nem juiz, só [morou] com maluco, mas não mexo com drogas e nem nada errado. Tudo que compro é com meu dinheiro e tenho as notas fiscais”.

Ainda de acordo com Keila, a arma utilizada para matar “Zé Pequeno” foi emprestada para o filho dela por um sujeito chamado “Natan”, vizinho da vítima, e que já foi visto usando drogas no quintal da casa dela na companhia de Kenis. “Ele [o filho] usava muita droga, mas agora estava indo para igreja. Se eu souber onde ele estiver eu vou chamar a imprensa para entregá-lo para a polícia”, completou.

Reprise

A entrevista concedida à Romário Alves, também contou com a participação do repórter Ray Lima e será reprisada nesta quinta-feira (13), a partir das 6h45.
banner-DO-ESTADO-2019.jpg