Prefeitura de Bacabal ainda não explicou contrato milionário com posto de combustível celebrado antes de carreata política

22/10/2018

O mote da campanha eleitoral do gestor interino de Bacabal é que ele é liso, ou seja, pessoa com pouco ou sem dinheiro algum. No entanto, em sua declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral seu patrimônio aparece com o valor de R$ 270.000,00 (duzentos e setenta mil reais).

A quantia apesar de exclui-lo da linha de pobreza que ele tentar passar que pertence, ainda assim seria insuficiente para bancar uma carreata como a que ocorreu no último sábado (20) com vasta distribuição de combustível, que, de tão atrativa, trouxe para Bacabal pessoas até de municípios vizinhos.

Bacabal quer saber...

A população bacabalense tentar achar uma explicação para a origem desse dinheiro investido na compra e distribuição gratuita de tanto produto derivado do petróleo.

Para tal façanha há pelo menos três possibilidades.

1. Edvan Brandão não é o liso que diz ser e investiu do próprio bolso para promover essa carreata;

2. Encontrou um correligionário mão aberta, estilo senador João Alberto, que se comprometeu em bancar toda a despesa;

3. E, por fim, o gestor interino usou mesmo foi do combustível fornecido para a prefeitura fruto de contratos celebrados recentemente com um posto de combustível local e que têm como estimativa mais de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) a serem pagos até o dia 31 de dezembro desse ano.

A vigência desse negócio de pai para filho teve início no último dia 10 de setembro como o Blog do Sérgio Matias revelou em publicação deste domingo (21). Acesse o link abaixo para ler novamente.

Portanto, diante de tantas dúvidas, continuamos aguardando por uma nota de esclarecimento por parte do município.
Faça seu comentário

0 comentários: