EDVAN/JOCIMAR: Semelhanças, diferenças e os mesmos dramas

20/10/2018

O gestor interino Edvan Brandão (PSC) tem mais coisas em comum com o ex-prefeito Jocimar Alves do que se possa imaginar. Ambos são de origem humilde, de boa índole, se elegeram a vereador e também presidiram o poder legislativo bacabalense, Edvan, aliás, é o atual presidente da Câmara Municipal.

As semelhanças são várias.

Tanto um como o outro tiveram a oportunidade de também comandarem o poder executivo, ou pelo menos assumiram o cargo para cumprirem essa missão. Digo pelo menos, porque na prática nenhum um nem outro fizeram isso.

Única diferença

Jocimar, técnico em contabilidade, foi eleito a prefeito por voto democrático na eleição de 1992. Edvan, ensino fundamental incompleto, ocupa interinamente o cargo - sem o aval das urnas - para cumprir mandato tampão até o próximo dia 28 de outubro quando haverá eleição suplementar para a escolha dos novos prefeito e vice-prefeito de Bacabal.

Reféns do grupo João Alberto

No que tange à suas administrações a história dos dois volta a se cruzar.

Jocimar praticamente não governou, foi mero instrumento de manobra do grupo do senador João Alberto do qual fazia parte. Naquela época Bacabal viveu seu pior momento político, social e econômico. Jogada completamente às traças e profundamente atolada na corrupção.

Das pessoas que verdadeiramente davam as cartas na gestão, passadas duas décadas, ainda hoje usufruem da riqueza adquirida. Josimar, esse infelizmente morreu em setembro de 2015, pobre, deprimido e doente.

Com a gestão de Edvan Brandão ocorre justamente a mesma coisa.

Do dia que assumiu até hoje é o que menos tem poder de decisão. Tudo, rigorosamente tudo, passa pelo crivo do deputado estadual Roberto Costa (MDB), de Maria José Carvalho (ex-prefeita de São Luís Gonzaga do Maranhão), e, claro, do próprio senador João Alberto.

O trio montou o secretariado, controla as finanças e fica à frente das licitações e contratados celebrados pelo município.

Durante o primeiro turno das eleições gerais desse ano, essa situação ficou mais evidente, pois, foi se utilizando da máquina pública municipal que Roberto Costa conseguiu renovar seu mandato na Assembléia Legislativa.

Como Edvan ainda tem aproximadamente uma semana no cargo, só depois saberemos qual será o final da sua história, porém, de certo é notório que não sairá pobre. Nesses quatro meses seu padrão de vida cresceu bastante. Carro popular, casa simples, relógios e móveis baratos ficaram no passado, agora é tudo do mais extremo luxo.

O liso ficou rico...
Faça seu comentário

0 comentários: