DANDO TAPA E ESCONDENDO A UNHA!: Justiça nega habeas corpus e irmão de Edvan Brandão continua preso; jagunços que estavam com ele também permanecerão na cadeia

25/10/2018

Depois de tentar sem sucesso atrapalhar a realização da carreata de César Brito/Florêncio Neto que acontece nesta quinta-feira (25) à tarde, o grupo João Alberto dá mais um tiro no pé ao anunciar que planeja um evento intitulado “passeata da paz”.

A iniciativa é o que podemos dizer, no mínimo, descarada, pois é justamente o contrário disso que seus integrantes veem praticado pela cidade, sobretudo na região da baixada bacabalense.

Na terça-feira (23) um morador do povoado Sincoral foi atacado por jagunços armados e usando toucas ninjas. Na ação o cidadão foi ameaçado de morte e agredido a socos e pontapés, só não perdendo a vida graças à intervenção de populares que presenciaram a cena e imploraram por clemência.

Em entrevista concedida à TV Bacabal (canal) durante o programa do apresentador Randyson Laércio, a vítima detalhou o ocorrido e ligou o fato diretamente a represália política por conta de sua opção pelo candidato César Brito.

Já no dia seguinte, algo semelhante ou quem sabe até pior só não aconteceu em virtude da ação rápida da polícia que deteve quatro homens, no povoado Sobradinho, em atitude suspeita a poucos metros da comitiva onde estava César Brito.
Dentre os detidos nada mais, nada menos, do que o secretário municipal de administração Ely Brandão de Farias, irmão do gestor interino Edvan Brandão (PSC), que foi imediatamente conduzido para a delegacia.

Com ele estavam três homens que também foram levados, assim como as quatro armas de fogo municiadas - duas delas com numeração raspada - apreendidas em posse dos mesmos.
Na Delegacia Regional de Bacabal todos foram ouvidos e receberam voz de prisão enquanto o jurídico da campanha de Edvan Brandão (PSC) ingressava com pedido de habeas corpus que, posteriormente, foi analisado e negado pela justiça.

Ely Brandão e os três jagunços permanecerão presos e deverão ser encaminhados para a Unidade de Ressocialização Prisional (URP), no povoado Piratininga.

Assista vídeo onde um dos jagunços diz em entrevista que as armas foram entregues por Edvan Brandão.
Faça seu comentário

0 comentários: