COLAPSO GERAL! Depois da prefeitura, agora é creche que tem energia cortada por falta de pagamento em Bacabal

10/10/2018

As crianças alunas da Unidade Integrada Plim-plim, na rua 02, antigo campo de pouso, em Bacabal, foram obrigadas a retornarem para casa nesta quarta-feira (10) sem assistir aula por conta do corte no fornecimento de energia da escola. A razão, assim como aconteceu no prédio da sede da prefeitura, foi o não pagamento.

Há informações que a Companhia Energética do Maranhão (CEMAR) tentou sem sucesso renegociar a dívida, entretanto, se viu obrigado a interromper o fornecimento.

O calapso na administração pública do município é geral com a falta de pagamento de servidores e fornecedores,  paralisão de ambulâncias e ônibus escolares por falta de combústível, e, o pior, falta de água na maioria dos bairros.

Esses fatos negativos já vinham acontecendo durante a campanha eleitoral de Roberto Costa (MDB) quando o gestor interino do município entregou o comando da cidade ao deputado estadual e para a ex-dama de ferro de São Luís Gonzaga, Maria José Carvalho.

Depois do derramamento de dinheiro cooptando apoio para Roberto, Maranhão afora, a situação em Bacabal se agravou.

Reformada

A Plim-plim reabriu suas portas com muitas novidades durante a última gestão Zé Vieira. A Educação Infantil passou a contar com o Maternal 1, em 6 salas para crianças a partir dos 2 anos de vida.

São mais cinco salas do Jardim 1 e outras cinco do Jardim 2.

Entre as muitas melhorias a Plim-plim também ganhou uma sala de cinema. Mas não foi só isso.

Inclusão

A dedicação à educação inclusiva foi outra marca. Na Plim-plim são atendidas, ou pelo menos eram, 69 crianças com deficiência, a partir de uma prática pedagógica dinâmica que reconhece e valoriza as diferenças, e sob a atenção de 28 cuidadores infantis.

Além do mais, a Prefeitura de Bacabal, através da Secretaria Municipal de Educação, adquiriu berços, colchões e tatames para as salas do maternal.

Leia também

Next
Faça seu comentário

0 comentários: