PUBLICIDADE

Super_Banner_Blog_Sergio_Matias_900x430_v1
Tecnologia do Blogger.

Teste Teste Teste

DUDA BIJOUX

DUDA BIJOUX

DEPÓSITO DE BEBIDAS

DEPÓSITO DE BEBIDAS

FACEBOOK

FACEBOOK

PROMOÇÃO DE FINAL DE ANO! SYGMA CURSOS TÉCNICOS E PROFISSIONALIZANTES

TV ÁGAPE (canal 40)

TV DIFUSORA (canal 2)

TV DIFUSORA (canal 2)

PESQUISAR

Arquivo do blog

ELEIÇÕES 2016

ELEIÇÕES 2016

Postagens populares

PERFUMES & PRESENTES

PERFUMES & PRESENTES

RÁDIO MIX

RÁDIO MIX
TV Difusora, canal 2, 6h15

LinkWithin

FANPAGE

Publicidade

BANNERS-outubro-1.gif

Cadáver encontrado em Bacabal foi levado para o IML na capital e ainda não foi reconhecido


O corpo encontrado na tarde desta quarta-feira (04) em uma área de matagal entre os bairros Chapadinha e Cobab ainda não foi oficialmente identificado.

Valdevan da Silva, irmão de Antônia da Silva Vaz, de 34 anos de idade, que encontra-se desaparecida deste o domingo (30) disse à imprensa que um familiar esteve no local do achado de cadáver e reconheceu como sendo de sua irmã, porém, nem ele mesmo teve essa garantia.

Diante das dúvidas, a Polícia Civil encaminhou o corpo para o Instituto Médico Legal (IML) onde será colhido material genético de um parente de Antônia da Silva para fins de identificação. Só então é que o corpo será liberado para o sepultamento.

Entenda o caso
Na manhã da última quarta-feira (03) a dona de casa Luiza Gonzaga, moradora da rua Frederico Leda, 225, bairro Santos Dumont, em Bacabal, esteve na recepção da TV Difusora em busca de informações sobre o paradeiro de sua filha.

Antônia da Silva, reside com a mãe e foi vista pela última vez no domingo (30) pela manhã, na feira pública do bairro Vila São João.

Desde então ninguém soube mais notícias de Antônia e sua família encontra-se desesperada, temendo que algo de pior possa ter acontecido.

Dona Gonzaga, aos prantos, conta que a filha toma remédio controlado e também pede a quem encontrá-la, que a leve até sua residência ou entre em contato pelo telefone (99) 98222-3919. "Oh gente, me ajuda a encontrar minha filha, estou sofrendo demais. Ela tem ataques epiléticos e não está com seus remédios".

Desesperada, a mãe ainda faz um apelo à classe de mototaxistas. "O mototaxi que encontrar minha filha, pode trazer ela para casa que eu pago a corrida".
Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

FACEBOOK

Arquivo

Rádio Timbira

ESPAÇO PSICOPEDAGOGO

ESPAÇO PSICOPEDAGOGO

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

BANDEIRA 2

BANDEIRA 2

AGORA BACABAL

AGORA BACABAL

EMPÓRIO DOS COSMÉTICOS

EMPÓRIO DOS COSMÉTICOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ALUGADORA VISUAL

ALUGADORA VISUAL

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE