“Calo no pé” ou “Pé na bunda”

29/09/2018

Por ocupar a chefia do poder executivo sem o aval das urnas - o vereador Edvan Brandão (PSC) faz da sua gestão o maior cabide de emprego que já se teve conhecimento em Bacabal.

Entretanto, os agraciados com um emprego na prefeitura não estão tendo vida mansa. Além das 6 horas diárias (as vezes bem mais) de trabalho em suas respectivas secretarias, os servidores estão sendo obrigados a marca presença nos eventos da campanha a prefeito do gestor interino.

Como são marcados quase sempre para a parte da tarde, os servidores mal têm tempo de digerir o almoço.

Essa rotina que ainda tem dias e dias para terminar – a eleição suplementar ocorre dia 28 de outubro desse ano - tem levado a maioria à exaustão, principalmente senhoras que, além de deixarem de lado os afazeres de casa, começam a sentir no corpo os efeitos do trabalho forçado. Muitas se queixam de dores, outras apresentam bolhas nos pés resultado das longas caminhadas sob sol escaldante.

Ainda que demonstrem insatisfação e cansaço, só lhes são dadas duas opções: cumprem o que se determina ou são sumariamente demitidas.

É “calo no pé” ou “pé na bunda”.

É só uma questão de escolha...

EM TEMPO: A exceção são os servidores que constam na folha de pagamento da Prefeitura de Bacabal, mas, na verdade nem aqui residem, estão à serviço da campanha a deputado de Roberto Costa (MDB) no município de São Luís Gonzaga do Maranhão.

LEIA TAMBÉM:

"PAGUE MEU SALÁRIO!": Gestor interino é constrangido por servidora durante evento de campanha em Bacabal

Leia também

Next
Faça seu comentário

0 comentários: