Gestão interina de Edvan/Roberto Costa volta a não cumprir acordo com servidores da Prefeitura de Bacabal; ameaça de greve continua

25/07/2018

Servidores  na porta do sindicato da categoria.
Durante o último final de semana Bacabal foi palco da maior micareta do Maranhão, evento que trouxe para nossa cidade milhares de visitantes. Neste mesmo período os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e do Hospital Geral de Bacabal (Socorrão) resolveram cruzar os braços em protesto pelo atraso de salários já que o município não havia cumprido com o que se comprometera, ou seja, pagá-los na sexta-feira (20).

Diante da grave situação, ao tomar conhecimento do fato através do Blog do Sérgio Matias - o único a tornar pública a paralisação -, o gestor interino Edvan Brandão foi pessoalmente nestas repartições e novamente deu a palavra garantindo que o pagamento seria efetuado na segunda-feira (23).

Dando crédito a ele os servidores retornaram ao trabalho.

No entanto, para a surpresa de todos e decepção de alguns, apenas os efetivos tiveram seus salários depositados em conta, porém, sem suas gratificações.

Em situação pior estão os contratados que ainda continuam de bolsos vazios e sem previsão de receber.

A classe médica é outra extremamente insatisfeita.

Assim também acontece com os servidores das demais secretarias, como a educação.

Já vi essa cena

O grupo político que ocupa interinamente o poder executivo municipal é o mesmo das três consideradas piores gestões que Bacabal tomou conhecimento, não por consciência, todas do MDB.

Jurandir Lago (1990 a 1992) comprometeu décadas do orçamento do município com o famigerado canal da OAS que resultou numa dívida milionária paga pelos cofres da prefeitura.

Seu sucessor, Jocimar Alves (1993 a 1996), foi mais vítima do que cúmplice desse grupo político. Sua gestão é considerada até hoje como a pior.

Recentemente, o pecuarista Zé Alberto Veloso (2013 A 2016) acrescentou mais um capítulo triste dessa história. Com índices elevadíssimos de rejeição, sequer disputou a reeleição.

Atualmente é novamente o MDB que dita as ordens no executivo bacabalense, muito embora o vereador Edvan Brandão (presidente da Câmara Municipal) que responde interinamente pelo poder executivo não seja filiado a legenda.

Como das outras vezes em que a Prefeitura de Bacabal esteve nas mãos dos representantes da oligarquia Sarney em Bacabal, a gestão de Edvan também é catastrófica, pífia, e patina no descrédito da população.

Seu mandato-tampão vai até 28 de outubro desse ano e, apesar do pouco tempo, é provável que chegue ao final com uma margem alta de desaprovação.

Leia também

Next
Faça seu comentário

0 comentários: