Justiça não reconhece ato do presidente da Câmara de Bacabal que afastou Zé Vieira; prefeito retorna ao cargo

17/01/2018


A obsessão de Edvan Brandão (PSC) pelo poder é cega e cruel e, desde que se elegeu para presidir o legislativo bacabalense, alimenta e pavimenta o sonho de ocupar interinamente o lugar de Zé Vieira (Progressista) no comando do executivo.

Para tanto tem tentado, com a anuência de seus lideres políticos, dentre eles Roberto Costa (PMDB), candidato a prefeito derrotado, tomar na marra o cargo de Zé Vieira, porém, não tem sido cauteloso em suas decisões.

A última delas, por exemplo, que afastou o prefeito, foi classificada como arbitrária pelo próprio vice-prefeito, que assumiu temporariamente. Florêncio Neto chegou a alertar a população sobre os inúmeros problemas que seriam causados, como o bloqueio das contas bancárias do município. Reveja.
Os advogados de defesa de Zé Vieira também bateram na mesma tecla e, inclusive, declararam à imprensa que formalizariam uma representação criminal contra o presidente Edvan Brandão.

Florêncio Neto e os advogados se queixavam com conhecimento de causa, pois, na manhã desta quarta-feira (17), o Tribunal de Justiça do Maranhão tornou nulo, sem validade, o ato de Edvan Brandão em que declarou a vacância do cargo de prefeito em 05 de janeiro desse ano, o que como consequência devolve Zé Vieira a titularidade do cargo.

Improbidade Administrativa

Agora que fracassou em mais um dos seus intentos, o presidente da câmara tentará evitar as punições previstas no caso de quem comete improbidade administrativa, pois a ação civil pública em seu desfavor que tramita na justiça pode acarretar em seu afastamento do cargo e, posteriormente, em sua inelegibilidade.

ENTENDA O CASO:

Edvan Brandão vive inferno astral

Leia também

Next
Faça seu comentário

0 comentários: