PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sábado, 15 de julho de 2017

Governo do Maranhão realiza cirurgia inédita no Hospital de Câncer para tratar síndrome rara


Secretaria de Estado da Saúde

Um procedimento inédito foi realizado na quinta-feira (13) no Hospital de Câncer do Maranhão. Investimentos do poder público estadual permitiram a execução de uma cirurgia para tratar da acromegalia, uma síndrome rara causada pelo desenvolvimento de um tumor benigno na hipófise, chamado de adenoma. O procedimento, realizado de forma inovadora e mais eficaz, faz da rede pública estadual pioneira na oferta desse serviço. A proposta do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), é beneficiar mais cidadãos maranhenses que necessitem do procedimento.

A acromegalia é caracterizada pelo surgimento de um tumor na hipófise, glândula localizada na parte inferior do cérebro que produz diversos hormônios, entre eles o do crescimento. Com a acromegalia, a hipófise libera hormônio do crescimento em excesso. Além de alterações em partes do corpo como crânio, rosto, lábios, articulação da mandíbula, dentes, mãos e pés, o problema pode levar a complicações cardiovasculares, respiratórias e metabólicas.

Antigamente, se operava esse tipo de tumor com cirurgia aberta o que podia ocasionar lesão no nervo óptico. Com a tecnologia, começaram a realizar o procedimento pelo nariz com o microscópio, mas com limitação no campo de visão, o que gerava dificuldade para retirada completa do tumor. A cirurgia foi realizada no Hospital de Câncer do Maranhão por meio de endoscopia, com o auxílio de um otorrinolaringologista.

O neurocirurgião Tiago Teixeira Silva explica as vantagens de realizar o procedimento dessa forma. “Assim, temos um campo de visão muito maior e, vendo melhor as estruturas, conseguimos retirar o tumor todo com muito mais segurança e menor risco de lesão de estruturas como a artéria carótida, que geralmente passa ao lado do tumor. Mesmo na rede privada, o procedimento geralmente é realizado com o microscópio", conta.

O médico acrescentou que o Hospital de Câncer do Maranhão possui uma equipe especializada e treinada para realizar esse tipo de operação. “Por ser uma síndrome rara, fomos capacitados em outro estado e estamos aptos a executar o procedimento dessa forma, mais eficaz e mais segura para o paciente. Nossa proposta é continuar realizando esse tipo de cirurgia, reduzindo os agravos causados pela síndrome na vida dos pacientes”, disse o neurocirurgião.

LEIA TAMBÉM: 

Bebê bacabalense que nasceu com problemas cardíacos respira sem ajuda de aparelhos após cirurgia inédita na rede estadual

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...