Justiça nega pedido de prisão preventiva a jovem acusado de abusar sexualmente da tia, em Bacabal; vítima é idosa e deficiente auditiva

06/03/2017

Erick Magalhães, de 19 anos, foi autuado em flagrante pela
Polícia civil, mas colocado em liberdade pela Justiça.
Informações atualizadas às 22h00

No último dia 25 de fevereiro pai e filho foram conduzidos à Delegacia do 1º Distrito Policial de Bacabal suspeitos de agredir fisicamente e tentar abusar sexualmente de uma idosa de 59 anos, moradora da rua São José, bairro Setúbal, tia de um deles.

Segundo a filha da vítima, os dois, embriagados, teriam entrado no quarto, tirado na marra a roupa da vítima e tentado consumar o ato.

Erick Magalhães Morais, de 19 anos, e seu pai Josenilson Miranda Morais, de 39, foram denunciados pelos próprios familiares.
Vítima ficou com vários hematomas no rosto.
A vítima fala com dificuldade em virtude da deficiência auditiva.

Após ouvir os envolvidos a Polícia Civil autuou Erick Magalhães em flagrante e encaminhou o resultado à Justiça que, no dia seguinte, durante plantão do juiz Marcelo Silva Moreira – titular do Juizado Especial Civil e Criminal -, decidiu por recoloca-lo em liberdade, aplicando apenas medida alternativa à prisão por entender que o acusado, além de réu primário, não oferece risco potencial à ordem pública, como também achou desnecessária a realização de audiência de custódia, que consiste na garantia da rápida apresentação do preso a um juiz nos casos de prisões em flagrante.

A decisão causou revolta dos familiares da vítima. Francisca Miranda, filha da idosa, foi novamente entrevistada pelo repórter Romário Alves (TV Difusora). Ela lamentou veementemente a soltura de Erick Magalhães que só permaneceu 6 dias na cadeia.

Para mim é uma coisa muito chocante. Minha mãe praticamente o criou. Se tivesse matado minha mãe, seria posto em liberdade do mesmo jeito?! Tá errado uma coisa dessa, minha mãe é um ser humano. Ele deixou o rosto dela todo deformado, ele subiu em cima dela, dando murro como se estivesse dando em um homem”, lamentou.

Segundo Francisca, a idosa só foi submetida ao exame de corpo de delito por falta de ginecologista para proceder ao de conjunção carnal. “Ele [Erick] não foi autuado nem na Lei Maria da Penha”, disse.

Em um trecho da decisão assinada pelo juiz Marcelo Moreira, diz que o réu é primário e não oferece risco potencial à ordem pública, mas Francisca afirma que o mesmo já tentou estuprar uma vizinha que estava grávida, como também já foi preso por agredir fisicamente a namorada.

TV Difusora

A entrevista com a filha da vítima será exibida na íntegra na manhã desta terça-feira (7), a partir das 6h15, no programa Bandeira 2, e, ao meio-dia, no Na Hora D, com Randyson Laércio.
Faça seu comentário

3 comentários: