Detenta foge de delegacia, mas é recapturada pela Polícia Militar, em Bacabal

06/12/2016

Karina Flor Pereira, de São Luís, estava na carceragem do 1º Distrito Policial de Bacabal desde o dia 11 de novembro desse ano quando foi presa na companhia do idoso o idoso Mauro Pereira, de 72 anos, natural de São Vicente de Ferrer, interior do Maranhão, suspeitos de cometer furtos no comércio de local juntos com pelo menos outros dois comparsas que conseguiram escapar do cerco policial.

De lá para cá Karina ganhou a confiança dos agentes e, por volta das 20 horas desta segunda-feira (5), aproveitou o momento do banho para fugir sem que fosse notada.

Para a azar dela, quando passava nas imediações do Armazém Paraíba, na praça Silva Neto, se deparou com uma guarnição da Polícia Militar que logo a reconheceu. Indagada pelo alvará de soltura, Karina se ateve a dizer que havia sido liberada e que se dirigia para o Terminal Rodoviário ao encontro de sua genitora.

De imediato a guarnição entrou em contato com agentes do 1º DP que, então, perceberam a falta da mesma.

Ainda no intuito de continuar em liberdade a detenta teria tentado subornar os policiais oferecendo a quantia de R$ 200,00 (duzentos reais). Mas, acabou mesmo tendo que retornar para a cela da delegacia.

o idoso Mauro Pereira, de 72 anos, continua preso na Unidade Prisional de Ressocialização, no povoado Piratininga.

Entenda o caso

Em 11 de novenbro desse ano a Polícia Militar conseguiu recuperar dezenas de produtos furtados de lojas em Bacabal. São televisores, aparelhos celulares, panelas, camisas, calças, vestidos e etc., encontrados no interior de um Fiat/Siena, cor branca, placa OJO-8129, São Luís-MA, que foi localizado estacionado na área do Terminal Rodoviário de Bacabal.

No veículo estavam o idoso Mauro Pereira e Karina Pereira, que não teve a idade revelada (a polícia não informou se os dois têm algum grau de parentesco).

Os furtos foram feitos durante o dia em pelo menos três lojas de departamento. 
Os membros da quadrilha, que além de Mauro e Karina contava com outras pessoas que conseguiram fugir, entravam nas empresas já carregando sacolas de outras lojas. Quando se certificavam que não havia ninguém os observando, aproveitavam para romper os lacres de segurança dos produtos e os colocavam dentro das sacolas, conseguindo sair do local sem levantar suspeitas.

Em um desses furtos, para azar da quadrilha, um policial à paisana desconfiou da ação, fez a anotação da placa do veículo e acionou a Polícia Militar.

De acordo com informações, a quadrilha era composta por três homens e duas mulheres, todos, provavelmente, moradores da capital do estado.

Leia também

Next
Faça seu comentário

1 comentários: