PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Ministério Público Eleitoral impugna pedido de registro de candidatura de Zé Vieira, em Bacabal

Indo de encontro ao entendimento do Supremo Tribunal Federal - só câmara de vereadores poderá tornar inelegível um prefeito que teve suas contas de governo ou gestão rejeitadas por um tribunal de contas - o Ministério Público Eleitoral, em Bacabal, protocolou, nesta quarta-feira (17), na Promotoria Eleitoral da 13ª Zonal, Ação de Impugnação de Pedido de Registro de Candidatura em face do candidato Zé Vieira (Coligação: “Bacabal vai Vencer” - PPS / PSDC / PP / PROS / PSD / PHS / PMN / SD / PSOL / PC do B / PTN / PRB / PPL / PSC / PRP), ter contas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas da União referentes aos mandatos exercidos como prefeito de Bacabal.

A Ação de Impugnação de Pedido de Registro de Candidatura – AIPRC – é meio legal no qual alguém revestido de interesse jurídico poderá impugnar a candidatura de um cidadão que pretende concorrer aos cargos políticos-eletivos. neste caso foi assinada pelo promotor Francisco Teomário (MPF/Bacabal).

O julgamento da ação compete à Justiça Eleitoral.

Qual o prazo para defesa?

Após a devida notificação, o Partido Progressista ou Coligação “Bacabal Vai Vencer” tem prazo de 7 dias para apresentar a contestação.

O Juízo Eleitoral designará os 4 dias seguintes para inquirição das testemunhas, exceto quando a questão não dependa de prova. - Nos 5 dias seguintes, o juiz poderá determinar diligências e ouvir terceiros ou testemunhas e, ainda, ordenar que terceiros juntem ao processo documentos que sejam necessários na decisão da causa.

Encerrado o prazo para produção de provas, as partes, inclusive o Ministério Público, poderão apresentar alegações finais no prazo de 5 dias. No dia seguinte ao término do prazo, os autos serão conclusos juiz eleitoral para sentença.

IMPORTANTE!

Importante ressaltar que o candidato que tiver o registro indeferido poderá recorrer da decisão e, enquanto estiver nesta condição, prosseguir em sua campanha e ter seu nome mantido na urna eletrônica, ficando a validade de seus votos condicionada ao deferimento de seu registro pelo TRE ou, em última instância, pelo TSE.

Declarada a inelegibilidade do candidato a Prefeito, o Vice não será atingido e vice-versa, se reconhecida a inelegibilidade por decisão do Juiz Eleitoral e havendo recurso, a validade de votos atribuídos à chapa, que esteja pendente de julgamento (sub judice) no dia da eleição, fica condicionada ao deferimento do registro.

MPE

Como defensor do regime democrático, o Ministério Público tem legitimidade para intervir no processo eleitoral, atuando em todas as fases: inscrição dos eleitores, convenções partidárias, registro de candidaturas, campanhas, propaganda eleitoral, votação, diplomação dos eleitos. A intervenção do MP também ocorre em todas as instâncias do Judiciário, em qualquer época (havendo ou não eleição),  e pode ser como parte (propondo ações) ou fiscal da lei (oferecendo parecer).
O Ministério Público Eleitoral não tem estrutura própria: é composto por membros do Ministério Público Federal e do Ministério Público Estadual. O procurador-geral da República exerce a função de procurador-geral Eleitoral perante o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e indica membros para também atuarem no TSE (subprocuradores) e nos Tribunais Regionais Eleitorais (procuradores regionais eleitorais, que chefiam o Ministério Público Eleitoral nos estados). Os promotores eleitorais são promotores de Justiça (membros do Ministério Público Estadual) que exercem as funções por delegação do MPF.
LEIA TAMBÉM:

11 comentários:

  1. SERGIO MATIAS, suas palavras estão bem colocadas, é isso mesmo, Indo de encontro ao entendimento do Supremo Tribunal Federal - só câmara de vereadores poderá tornar inelegível um prefeito que teve suas contas de governo ou gestão rejeitadas por um tribunal de contas.

    ResponderExcluir
  2. ISSO MESMO SERGIO MATIAS INDO DE ENCONTRO AO ENTENDIMENTO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - SÓ CÂMARA DE VEREADORES PODERÁ TORNAR INELEGÍVEL UM PREFEITO QUE TEVE SUAS CONTAS DE GOVERNO OU GESTÃO REJEITADAS POR UM TRIBUNAL DE CONTAS.

    ResponderExcluir
  3. Essas eleições em Bacabal estão parecendo filme de zumbi... O povo tá Sepultado e, quando você menos espera, estão voltando dos mortos querendo se eleger... Oremos!!

    ResponderExcluir
  4. O MPE pode espernear o quanto quiser, pois quem manda é o STF, e então já decidiram que estão liberados. Chore mais que tá pouco!!

    ResponderExcluir
  5. Estranho! Existe de fato, esse órgão em Bacabal? Por que não age então, quando dos flagrantes desmandos e ilegalidades que ocorrem diuturnamente em outras circunstâncias?

    ResponderExcluir
  6. Não só isso, esse se ganhar também conta a idade, se durar 2 anos ainda, é muito, ai bacabal vai para a família florêncio. afff!

    ResponderExcluir
  7. se essa lei que vai de encontro da ficha lima for extinta. estamos indo de encontro a corrupçõa, pois os vereadores vao passar 4 anos estrquindo prefeito em beneficio proprio. e o povo que se dane. do jeito que tá essa foi a pior camara de vereadores dos 96 anos de bacabal.

    ResponderExcluir
  8. ze era pra tá na cadeia

    ResponderExcluir
  9. Existe uma grande diferença das contas julgadas pelo TCE e das contas julgadas pelo TCU (convênios com a União).
    Melhor aceitar, vai doer menos.

    ResponderExcluir
  10. Kkkkkkkkkk os fãs querem defender o indefensável...o Supremo já se manifestou sobre o caso, a nova lei não vale para as eleições de 2016. Quem é ficha suja, continua. As pessoas não se informam q querem agir na emoção.

    ResponderExcluir
  11. Kkkkkkkkkkkkk demais ja tao fazendo o funeral kkk

    ResponderExcluir

Denúncias, críticas, reclamações e/ou sugestões devem ser enviadas para o email blogdosergiomatias@gmail.com ou via aplicativo whatzApp (99) 8217-3212.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...