PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

segunda-feira, 28 de março de 2016

JOÃO CLAUDINO: Empresário de 85 anos que criou conglomerado empresarial a partir de Bacabal dá dicas de como alcançar o mesmo sucesso

"Se gasta só 20%, fica rico nem que não queira”,
é o que diz o empresário sobre ter equilíbrio financeiro.
A edição de março da Revista Cidade Verde, de Teresina-PI, trouxe como matéria de capa uma entrevista com o empresário João Claudino, que embora seja muito requisitado, não costuma atender a imprensa. Dono do Grupo Claudino, um dos maiores conglomerados empresariais do país, ele revelou os 10 passos que asseguram o sucesso no mundo dos negócios, ainda mais em tempos de crise.
João Claudino tem apenas o primário e veio da Paraíba, onde tudo começou com uma “bodega” em Cajazeiras, no interior do Estado, ainda em 1949. Cinco anos mais tarde vendeu seu ponto e resolveu se unir a seu pai Joca e Valdecy Claudino, um de seus 15 irmãos.
Em 1958, fugindo de uma futura crise, a família resolveu mudar a loja para Bacabal onde começou a história de sucesso.
Atualmente o grupo engloba 13 empresas, cujo faturamento chegou a R$ 3 bilhões em 2015, segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) - e, somente as vendas do Paraíba, respondem pela metade desse valor.
Qual a fórmula para tamanho sucesso? Aos 85 anos João Claudino sabe bem qual é e dá 10 lições sobre o tema:
1. Vocação;
2. Dedicação;
3. Credibilidade;
4. Valorização do funcionário;
5. Cliente em 1º lugar;
6. Equilíbrio financeiro;
7. Investimento em Marketing e propaganda;
8. Intuição e planejamento;
9. Acompanhar de perto;
10. Não arriscar demais.

Sobre ‘vocação’, João Claudino é enfático e diz: “tem que ter o tino para a atividade que escolhe. E isso vale para tudo… Se você não gosta, não adianta, porque o trabalho vira sofrimento”.
O empresário destaca ainda o valor que o negócio precisa dar para o cliente, e principalmente, dos seus colaboradores. “Quando você consegue conquistar a confiança do cliente e das pessoas com quem trabalha, aí você tem futuro. E isso você consegue dando seriedade ao seu trabalho, cumprindo com o que promete, tendo palavra”, aconselha João Claudino sobre credibilidade, característica importante para quem quer vencer.
A respeito da valorização do seu funcionário, ele afirma que as pessoas confundem valorização com pagar um bom salário, o que, segundo o empresário, não é a mesma coisa. “Você pode pagar bem, mas se você não demonstrar reconhecimento pelo trabalho que ele faz, não adianta”. Ainda sobre a importância de ter funcionários motivados e empenhados, ele completa: “a empresa é do tamanho da grandeza do funcionário”.
Lição número 1 na hora de pensar em sucesso financeiro, João Claudino sabe bem que a receita de gastar menos do que se ganha é primordial. Mas ele vai além: “Quando se usa só 80% do que se ganha, já pode dar certo, mas 60% é melhor. Se gastar só 40%, aí você fica muito bem. Se gasta só 20%, fica rico nem que não queira”, é o que diz o empresário sobre ter equilíbrio financeiro, revelando seu lado "econômico".
Mesmo tendo estudado somente até o primário, João Claudino atingiu o sucesso e, por isso, acredita que: “é possível vencer na vida sem ter muito estudo, dependendo da disposição e coragem para trabalhar”. Porém, hoje ele aconselha que é preciso ter estudo. “Estamos na era da perfeição, quando queremos um serviço, procuramos o melhor… Então tem que estudar”, conclui.
João Claudino chegou a Bacabal em 1958
vindo de Cajazeiras, na Paraíba.
Apesar da idade já avançada, ele garante que vai todos os dias ao Paraíba: “o dono tem que estar lá, perto, e fazer de tudo. Ele é o exemplo para os funcionários”, afirma o grande empreendedor. Contudo, pondera: “Não tenho mais a mesma disposição de quando comecei. O que tenho é maturidade administrativo”.

Sobre a crise, João Claudino revela que teve que demitir quase 50% da mão de obra da Construtora Sucesso em 2015, diz que ainda espera mais dificuldades em 2016, mas aconselha os empresários a não tomarem medidas drásticas e esperar essa fase passar. “Eu já apertei bastante o cinto, não tem mais onde apertar. Só que se apertar demais, a coisa para. É preciso trabalhar mais agora e acreditar que as coisas vão melhorar”. Orienta que isso é apenas uma fase e que vai passar. “Se você tem capacidade para dirigir e idealizar, isso vai fazer a diferença”. (Com informações de Illa Marinho/180graus).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...