PUBLICIDADE

sobrinho_banner
Tecnologia do Blogger.

Teste Teste Teste

DUDA BIJOUX

DUDA BIJOUX

DEPÓSITO DE BEBIDAS

DEPÓSITO DE BEBIDAS

FACEBOOK

FACEBOOK

PROMOÇÃO DE FINAL DE ANO! SYGMA CURSOS TÉCNICOS E PROFISSIONALIZANTES

TV ÁGAPE (canal 40)

TV DIFUSORA (canal 2)

TV DIFUSORA (canal 2)

PESQUISAR

Arquivo do blog

ELEIÇÕES 2016

ELEIÇÕES 2016

Postagens populares

PERFUMES & PRESENTES

PERFUMES & PRESENTES

RÁDIO MIX

RÁDIO MIX
TV Difusora, canal 2, 6h15

LinkWithin

FANPAGE

Publicidade

BANNERS-agosto-4.gif

Advogado Dr. Gilson Leão denuncia irregularidades na eleição para a presidência da OAB- seccional Bacabal

Em postagem publicada [em primeira mão] na terça-feira, dia 1º de dezembro, pelo Blog do Zé Lopes, o advogado Dr. Gilson Leão, denuncia irregularidades que, segundo ele, aconteceram na eleição para a presidência da OAB- seccional Bacabal.  

Leia a denúncia abaixo.

“Como presidente da seccional da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil do Maranhão, deveria dar o exemplo e zelar pelo cumprimento da lei, porém, em uma manobra político eleitoreira, nas eleições da OAB que aconteceram no dia 20 de novembro, aquele que se achava o todo poderoso Mário, determinou a expedição de boleto para pagamento da anuidade de 70 novos advogados, que fizeram os pagamentos nos dias 11 e 12 de novembro, a uma semana das eleições e, de forma ilegal colocou os 70 novos advogados para votar descumprindo o provimento e o regulamento geral do conselho federal da Ordem Dos Advogados Do Brasil (CFOAB), que não impedem de votar quem presta compromisso ao longo dos 30 dias que antecedem as eleições, mas veda terminantemente a regularização da situação financeira dos advogados com a finalidade de torná-los aptos ao exercício do voto nos trinta anteriores à realização das eleições (art. 12, inciso VII, do provimento 1462011, e art. 133, § 5º, inciso II, do regulamento geral do (CFOAB).

Como não podia mais inserir o nome dos 70 novos advogados nas urnas eletrônicas, pois a relação dos aptos a votar já tinha sido enviada ao TRE – Tribunal Regional Eleitoral, e o programa não poderia mais ser alterado, Mário Macieira em manobra absurda, ilegal e até imoral para quem deveria zelar pelo cumprimento da lei, determinou que os 70 novos advogados votassem em cédulas de papel e seus votos colocados em urnas de lona”.

Disputando a presidência da seccional da OAB de Bacabal pela chapa - Evandro Soares, a Ordem é mudar, contra a Dra. Marlúrcia Viana, o advogado Dr. Gilson Leão se sentiu lesado e entrou na Comissão Eleitoral Provisória da  OAB, com um recurso pedindo a anulação dos votos em papel, logo, na urna eletrônica, a que realmente valia, ele obteve 67 votos, contra 64 de sua opositora.

Aberta a urna de lona, onde votaram os nove novos advogados, todos com os pagamentos feitos fora do prazo, pois, a menos de sete dias da eleição, prestara compromisso com a OAB, ela obteve 6 votos, contra 2 de Dr. Gilson Leão, totalizando 70 a 69. Dr. Gilson explica que desses novos votantes, pelo menos sete eram alunos da Dra. Marlúrcia Viana do sétimo período de Direito: “Tudo bem que eles prestaram compromisso com a OAB, o problema é que não estavam aptos a votar e é por isso que estou recorrendo”, disse.
O Blog do Zé Lopes teve acesso a uma parte da documentação que Dr. Gilson Leão anexou junto ao recurso, inclusive ao áudio onde o Dr. Mário Macieira convoca os 70 novos advogados a se aliarem a ele.

Depois de dar entrada na Comissão Eleitoral Provisória da  OAB, com um recurso pedindo a anulação dos votos em papel, da eleição para a presidência da seccional Bacabal, Dr. Gilson Leão aguarda o resultado ainda para esta semana.

Bastante confiante nas provas e nos argumentos, ele está convicto na vitória e constantemente é abordado por colegas de classe, que se mostram solidários e também confiante no desfecho do caso a seu favor.

Dr. Gilson Leão explica que, ao contrario do que alguns advogados estão divulgando, essa ação, em hipótese alguma, atrapalharia o resultado final das eleições majoritárias, logo, ele está contestando os oito votos depositados na cédula de papel, por considerar manobra eleitoreira. “Veja que a diferença de Dr. Thiago para a Dra. Valéria é de 112 votos, se os setenta votos das cédulas de papel dos eleitores que pagaram a anuidade a dez dias das eleições e que foram considerados aptos a votar de forma ilegal, fossem todos do Dr. Thiago e fossem anulados, mesmo assim ele continuaria eleito”, esclareceu.
Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

FACEBOOK

Arquivo

Rádio Timbira

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

BANDEIRA 2

BANDEIRA 2

AGORA BACABAL

AGORA BACABAL

EMPÓRIO DOS COSMÉTICOS

EMPÓRIO DOS COSMÉTICOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ALUGADORA VISUAL

ALUGADORA VISUAL

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE