Publicidade

Banner-728-x-90.gif
Tecnologia do Blogger.

Teste Teste Teste

DUDA BIJOUX

DUDA BIJOUX

DEPÓSITO DE BEBIDAS

DEPÓSITO DE BEBIDAS

FACEBOOK

FACEBOOK

PROMOÇÃO DE FINAL DE ANO! SYGMA CURSOS TÉCNICOS E PROFISSIONALIZANTES

TV ÁGAPE (canal 40)

TV DIFUSORA (canal 2)

TV DIFUSORA (canal 2)

PESQUISAR

Arquivo do blog

ELEIÇÕES 2016

ELEIÇÕES 2016

Postagens populares

PERFUMES & PRESENTES

PERFUMES & PRESENTES

RÁDIO MIX

RÁDIO MIX
TV Difusora, canal 2, 6h15

LinkWithin

FANPAGE

Publicidade

BANNERS-fevereiro-2018-4.gif

Secretaria de Segurança Pública diz que suspeito preso confessou ter assassinado a garota Maysa Moreno

Foto: De Jesus/O Estado.
Atualizada às 23h41

José Ribamar dos Santos Portácio, conhecido como “Digné”, de 26 anos de idade, é o principal suspeito de ter cometido um dos mais bárbaros e comoventes crimes ocorridos no Maranhão nos últimos anos.

Ao ser apresentado na tarde desta quarta-feira (25), na sede da Secretaria de Segurança Pública, em nossa capital, ele teria confessado ter violentado sexualmente Maísa Moreno da Silva, de 6 anos, no Povoado Queimadas, município de Urbano Santos, onde  a vítima morava com os pais.

O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela foi quem garantiu que José Ribamar confessou ter cometido o crime quando ainda estava detido na delegacia da cidade de Itapecuru-Mirim. Já na entrevista coletiva o mesmo se manteve calado se recusando a responder qualquer pergunta, porém, em um vídeo postado no Youtube, “Digné” relata com riqueza de detalhes como agiu. A entrevista foi concedida ao jornalista Willian Vieira, da TV Cidade, de Itapecuru-Mirim. ASSISTA ABAIXO.
Investigação

O superintendente da SPCI, Dicival Gonçalves informou que foi montada uma força tarefa para esclarecer e elucidar o crime ocorrido na cidade de Urbano Santos. José Ribamar dos Santos em oitiva realizada nas dependências da regional de Itapecuru-Mirim, confessou ser o autor do estupro e homicídio da menor de seis anos de idade, Maísa Moreno da Silva. O crime ocorreu por volta das 21h do último sábado (21), naquela cidade quando José Ribamar, após ingerir bebida alcoólica e droga encontrou a menor Maísa andando pelas ruas da cidade.

Em decorrência disso, foi solicitada a prisão preventiva de “Digné” ao Poder Judiciário, pelo crime de estupro e morte de vulnerável e decretada pelo juiz Samir Araújo, titular da comarca de Urbano Santos.
O secretário da SSP repassou à imprensa, na coletiva, que 12 pessoas foram identificadas e autuadas em flagrante pelos crimes de dano qualificado ao patrimônio público, associação criminosa e incitação ao crime devido a depredação de prédios da cidade. Foram presos: José de Ribamar Dias Dutra, 40 anos; Adilson dos Santos Monteles, 39 anos; Talvane Moreno da Silva, 20 anos; Elimar da Costa Santos, 27 anos; Robert Richard dos Santos Silva, 18 anos; José da Costa dos Santos, 26 anos; Albert dos Santos Silva, 19 anos; Elias Dutra Santos, 20 anos; José Pedro Pereira da Costa Filho, 23 anos; Raimundo José Mendes Macedo, 21 anos; Ana Luzia da Costa dos Santos, 47 anos e Erdenia Pereira da Silva, 40 anos.

O intuito dessa ação descabida contra os órgãos públicos era a destruição de processos criminais em trâmite. Os envolvidos na ação criminosa tentaram, ainda, libertar presos ligados com o tráfico e destruir provas processuais. Esse era o interesse central dos envolvidos. “Nós temos equipes das Polícias Civil e Militar que irão permanecer na região e o trabalho integrado das forças pela representação judicial e prisões dos foragidos. Não há espaço de fuga para eles”, declarou Jefferson Portela.

A Polícia Civil abrirá inquérito policial para identificar o mentor e os envolvidos na destruição do Fórum e do setor administrativo da Prefeitura de Urbano Santos. “A ordem é para que cada um dos que tomaram parte nesse movimento sejam responsabilizados. O cidadão precisa entender que existe a forma correta de reivindicar que a justiça seja aplicada”, informou Augusto Barros, delegado-geral da Polícia Civil. (Com informações de Clara Fonseca / Ascom SSP).

LEIA MAIS SOBRE O CASO:

Enfurecida, população de Urbano Santos ameaça invadir delegacia e linchar testemunhas que foram confundidas com suspeitos da morte da garota Maysa, de 6 anos de idade.

Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

FACEBOOK

Rádio Timbira

Arquivo

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PARCERIA

PARCERIA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE