Enfurecida, população de Urbano Santos ameaça invadir delegacia e linchar testemunhas que foram confundidas com suspeitos da morte da garota Maysa, de 6 anos de idade

24/11/2015
Atualizada às 23h12
para correções

Mesmo após o corpo da pequena Maysa Moreno da Silva, de 6 anos de idade, ter sido sepultado, continua o clima de tensão em Urbano Santos, município que ela residia com os pais e foi assassinada cruelmente.

Durante toda essa terça-feira (24) a população permaneceu em frente ao prédio da delegacia da cidade, onde algumas testemunhas [e não suspeitos] estavam prestando depoimento.
A presença deles causou alvoroço e para que os mesmos  não fossem linchados por populares que ameaçaram invadir a delegacia, foi necessário o reforço de policiais do Grupo Tático Aéreo que se deslocaram da nossa capital.
Ainda assim, bombas de feito moral tiveram que ser utilizadas para dispersar a multidão enfurecida. De acordo com o delegado Dircival Gonçalves, titular da Superintendente de Polícia Civil do Interior, existe um suspeito e sua prisão foi decretada.

A sala do Fórum de Justiça de Urbano Santos também ficou destruída.
ENTENDA O CASO:

Leia também

Next
Faça seu comentário

0 comentários: