GOVERNO DO MARANHÃO

EMPÓRIO CHURRASCARIA E CERVEJARIA

EMPÓRIO CHURRASCARIA E CERVEJARIA

PUBLICIDADE

BANNERS-DEZEMBRO-2.gif

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

As "mil e uma versões" para o caso da nota de combustível da Câmara Municipal de Bacabal que foi parar em grupo de vendas e trocas

Em Bacabal, um dos assuntos mais comentados neste domingo (30) foi uma postagem feita em um grupo de vendas e trocas, criado no Facebook e, posteriormente, reproduzida pelo blogueiro Louremar Fernandes.

Nela, uma pessoa identificada como Marcello Igor, oferece, por R$ 50,00 (cinquenta reais) uma nota de combustível da Câmara Municipal de Bacabal, assinada pelo presidente da Casa, no valor de R$ 60,00 (sessenta reais).

A postagem foi feita às 14h05 do último sábado (29). No domingo, através do whatzaap, Marcello relatou ao titular desse blog que a nota já havia sido negociada, porém, não disse quando e nem com quem.

Na manhã desta segunda-feira (31) o blog retomou o contato com Marcello, desta vez via ligação telefônica. A princípio ele se limitou a dizer que a nota foi encontrada no meio da rua, e desligou o celular.

Minutos depois voltou a fazer contato e, desta vez, dando maiores detalhes. Na sua versão, a nota foi encontrada por ele próximo a praça São José, na rua Osvaldo Cruz, e colocada á venda.

Entretanto, dessa vez ele negou ter negociado a nota, afirmando primeiramente que a havia usado para abastecer sua motocicleta, questionado novamente, contou a terceira versão para o destino que tomou a nota, ou seja, que ela foi rasgada. O curioso é que mesmo diante da repercussão e da gravidade do caso, Marcello disse que até o momento ninguém da Câmara entrou em contato com ele para questiona-lo.

O blog também manteve contato com o vereador Manuel da Concórdia, presidente da Câmara, que se mostrou surpreso e prometeu tomar as medidas necessárias para esclarecer o caso.

É extremamente necessário que essa providencia seja tomada o mais breve possível, evitando assim que o legislativo bacabalense, responsável pela fiscalização dos recursos públicos municipais, não caia no descredito e que esse ato seja enquadrado no Art. 7° da Lei de Improbidade Administrativa.

EM TEMPO: Pelo menos em um detalhe ficou evidente a falta de cuidado da presidência da Câmara ao fornecer notas de combustivel. Como visto acima, o modelo e número da placa do veículo não foram discriminado na nota, o que facilitaria por demais esclarecer tudo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...