PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

domingo, 19 de julho de 2015

BRONCOASPIRAÇÃO: Bebê sofre parada cardiorrespiratória após se engasgar com caroço de feijão que foi parar no pulmão, em Coroatá

O caso de Yasmin Lopes Oliveira, de 1 ano e 3 meses, ainda emociona a população coroataense. Há aproximadamente dez dias, levada pela própria avó, ela deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Macrorregional daquela cidade vítima de broncoaspiração ao se engasgar com caroço de feijão e com insuficiência respiratória.

Após ser avaliada, foi detectada uma obstrução no pulmão esquerdo de Yasmin, e, inclusive, a mesma chegou a sofrer parada cardiorrespiratória, o que obrigou a equipe médica solicitar sua transferência para o Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, em São Luís, público e especializado na área de pediatria.

Na manhã deste sábado (18), o bebê foi levado para a nossa capital. Devido a gravidade do seu quadro clínico esse procedimento foi feito pelo helicóptero/AEROMÉDICO-GTA.

O médico bacabalense Dr. Luís Gonzaga de Carvalho Neto, o Dr. Lula, que atualmente desempenha sua função no SAMU de Coroatá, foi um dos responsáveis pelo delicado processo de encaminhar Yasmin, em uma ambulância de suporte avançado, até a aeronave, onde outra equipe médica já aguardava para acompanha-la até São Luís.
Em contato com o Blog do Sérgio Matias, Dr. Lula se disse muito feliz e realizado por ter tido a oportunidade de fazer parte dessa força-tarefa em defesa da vida humana.

Médico respeitado e dedicado à profissão, Dr. Lula inexplicavelmente, desde novembro de 2014, deixou de prestar serviço nas unidades públicas de saúde de sua terra natal. Entretanto, além de Coroatá, ele integra o quadro funcional do Hospital Regional de Peritoró, e é um dos médicos do Programa Saúde da Família–PSF, na cidade de Lago da Pedra.

Broncoaspiração

Segundo alguns médicos, as crianças com menos de 2 anos estão mais sujeitas ao afogamento com o refluxo pela "imaturidade" do estômago, que faz voltar o alimento, e porque não têm proteção para evitar que o alimento vá para os pulmões em vez de ser expelido pela boca. Este último caso evidencia uma disfunção mais comum do que se pensa e que, se não for tratada a tempo, pode se transformar em uma hérnia de hiato (ponto entre o esôfago e o estômago), doença que atinge de 30% a 60% da população. Eles explicam que o meio do esôfago é básico e o do estômago, onde se processa a digestão, é ácido. O desconforto provocado pelo refluxo se deve a esta volta de substância ácida para o esôfago, o que pode levar a um processo inflamatório. O problema deixa ainda seus portadores mais expostos a infecções respiratórias.

Tratamento

Quando é patológica, a tendência para o refluxo pode ser tratada desde o nascimento, informa o pediatra. O tratamento passa por procedimentos alimentares (recomendam-se líquidos mais espessos), posturais (para a posição do sono), até a administração de medicamentos que neutralizem a acidez. A cirurgia só é indicada quando nenhuma dessas medidas surtirem efeito. “O importante é alertar a população que uma criança pode morrer se não for cuidada”, ressalta o pediatra Cecim El Achckar.

Cuidados básicos

Nunca deixe seu bebê mamar sozinho antes de dormir. Depois da mamada noturna, espere que a criança arrote. O arroto é sinal que o estômago está se esvaziando, o que diminui a probabilidade de haver refluxo (quando o alimento percorre o sentido inverso da digestão).

A melhor posição para dormir é de lado, com a cabeceira mais alta. Isso não quer dizer que o travesseiro deva ser alto. Uma boa dica é colocar um tijolo sob os pés da cabeceira do berço, proporcionando uma leve inclinação.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...